Acesso ao principal conteúdo
Futebol/Espanha

Jogadores do Santander agradecem apoio após protesto pela falta de salário

Os jogadores do Racing Santaner entraram em campo mas se recusaram a jogar em protestos pelos salários atrasados.
Os jogadores do Racing Santaner entraram em campo mas se recusaram a jogar em protestos pelos salários atrasados. Reuters

Os jogadores do Racing Santander da Espanha, agradeceram nesta sexta-feira (31) as mensagens de apoio e solidariedade pela decisão de não jogar as quartas de final da Copa do Rei contra o Real Sociedad, devido ao atraso no recebimento dos salários. No comunicado, os jogadores também pediram aos clubes espanhóis que demonstrem seu apoio “antes ou durante os jogos” deste final de semana.

Publicidade

Nesta quinta-feira à noite, os jogadores do Santander entraram no gramado do estádio “El Sardinero”, mas não disputaram a partida em protesto pela falta de pagamento dos salários, atrasados há cinco meses. O jogo contra o Real Sociedad valia uma vaga para as semifinais da Copa do Rei da Espanha.

Imprensa, clubes e torcedores expressaram “solidariedade incondicional”, e elogiaram a “coragem” e a “dignidade” dos jogadores do Santander após o boicote.

O time do norte da Espanha faz parte do grupo de fundadores do primeiro campeonato espanhol, em 1929. Nos últimos anos, o  clube chegou a ser rebaixado duas vezes e foi parar na 3ª divisão do futebol espanhol. O Santander recuperou um pouco do seu prestígio com a bela campanha na atual Copa do Rei, ao eliminar do torneio duas equipes da 1 ª divisão, o FC Sevilha e o Almería.

Mas a situação econômica do clube se tornou cada vez mais grave e diante da falência financeira, os jogadores passaram a exigir a saída dos dirigentes. Caso contrário, eles ameaçavam não jogar nesta quinta-feira, o que finalmente acabou acontecendo. A torcida “alviverde” se mostrou unida em apoiar a decisão do elenco, apesar dos riscos de sanções.

De acordo com o regulamento, após esse boicote, o Racing Santander pode ser excluído da próxima edição da Copa do Rei e também está sujeito a uma possível multa e eventuais suspensões dos “responsáveis diretos”.

Reações

"Por todos os atores do futebol, são imagens que nunca gostaríamos de ver, que são difíceis de assimilar e que nos levam a apoiar o grupo de jogadores e seus treinadores”, declarou nesta sexta-feira o técnico do Barcelona, Gerardo Martino.

“É normal que todo trabalhador seja pago pelo seu serviço. Foi uma imagem feia de ver. Envio uma mensagem de apoio a todas as pessoas do Racing”, disse.

A Associação dos Futebolistas da Espanha (AFE, na sigla em espanhol), também expressou, através de um comunicado, "apoio total e solidariedade incondicional diante de todas as medidas a serem adotadas”.

Através do twitter, Pepe Reina, um dos goleiros da seleção espanhola campeã mundial em 2010, escreveu: "Posso assegurar a vocês que tomar uma decisão de não jogar uma partida de quartas de final da Copa do Rei tendo eliminado duas equipes da primeira (divisão), deve ser muito doloroso. Que asco dos dirigentes”.

A imprensa do país também foi unânime ao se referir ao boicote. O El Pais viu a “rebelião” dos jogadores do Racing como “sua mais bela vitória, a da dignidade”.

A atual situação financeira do Racing Santander é atribuída principalmente aos compromissos não assumidos pelo investidor indiano Ali Syed, que comprou o clube em 2011.

“Eles (os dirigentes) nos devem salários de vários meses, apesar das promessas constantes do presidente” Angel Lavin, escreveram os jogadores em um comunicado divulgado no início da semana.
 

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.