Acesso ao principal conteúdo
Esporte/Judô

Brasil termina Grand Slam de Judô de Paris com medalhas de prata e bronze

O judoca brasileiro David Moura, que levou medalha de prata no Grand Slam de Judô
O judoca brasileiro David Moura, que levou medalha de prata no Grand Slam de Judô (Foto: Elcio Ramalho/RFI Brasil)

Com uma medalha de prata de David Moura neste domingo (9), e uma de bronze com Rafaela Silva no sábado (8), a equipe brasileira terminou o Grande Slam de Judô de Paris em 10° na classificação geral. A competição é uma das mais importantes do circuito e abre a temporada internacional de judô.

Publicidade

Neste segundo e último dia do torneio, o Brasil voltou ao tatame do ginásio de Paris-Bercy com 7 atletas. Mas só dois conseguiram disputar medalhas.

No masculino, David Moura chegou à final depois de bater pesos pesados de sua categoria (+ 100 kg) , o tunisiano Faicel Jaballah e o russo Renat Saidov. Mas o sonho da medalha de ouro terminou em apenas 16 segundos, após um ippon aplicado pelo japonês Ryu Schichinohe.

"Ele é um cara muito técnico e conseguiu pegar minha manga no momento certo dar um ippon. Não tem o que dizer", disse. "Meu quimono estava um pouco grande, posso ter ajudado ele", lamentou. "Mas fiz uma boa competição e o importante para mim é que estou vendo uma evolução", afirmou o judoca em entrevista à Rádio França Internacional.

“Vim atrás do ouro. É uma decepção não conseguir, mas amanhã, quando acordar, vou vê-la com mais carinho”, afirmou em referência à sua medalha de prata.

Bronze no feminino

No feminino a esperança do dia foi com Maria Suelen Altheman (78kg). Ela venceu a francesa Rebecca Ramanich por ippon, passou pela alemã Franziska Konitz, mas na semifinal perdeu para a japonesa Kane Yamabe.

Na disputa pelo bronze contra a cubana Idalys Ortiz, a brasileira foi derrotada por quatro shidôs, advertências que levam o judoca a um cartão vermelho.

A coordenação técnica esperava bem mais da delegação de 13 atletas que participaram do Grand Slam de Paris, não apenas de medalhas, mas de evolução nas chaves. Entre as maiores decepções está Sarah Menezes (48 kg), eliminada no sábado, logo na primeira rodada, pela francesa Amandine Bouchard de apenas 18 anos.

Para a treinadora Rosicleia Campos, os judocas ainda estão se adaptando às novas regras do judô. "Todo mundo aprendeu a funcionalidade das novas regras, como são aplicadas na prática. De fato, eles (os juízes) estão sendo mais severos e muitas de nossas atletas sofreram e perderam apenas no shidô", diz.  A delegação brasileira de judô continua na capital francesa até à próxima quinta-feira para uma sequência de treinamentos no Instituto de Judô de Paris.
 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Faça o download da aplicação

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.