Acesso ao principal conteúdo
Brasil/Copa

Depois de eliminar Espanha, Chile quer ser primeiro do grupo

Eduardo Vargas faz o gol que abriu o marcador para o Chile.
Eduardo Vargas faz o gol que abriu o marcador para o Chile. REUTERS/Ricardo Moraes

A derrota de 2 a 0 da seleção espanhola para o Chile nesta quarta-feira (18) no Maracanã enterrou de vez as chances da Campeã Mundial de prosseguir no torneio. Grande surpresa nesta segunda rodada da Copa, a seleção chilena vai tentar surpreeender na próxima rodada a Holanda com quem vai disputar o primeiro lugar do grupo B. 

Publicidade

Com sete gols sofridos em duas partidas e apenas 1 gol anotado, a seleção da Espanha foi a primeira grande decepção da Copa no Brasil ao ser eliminada após os dois primeiros jogos da competição. Foi a primeira vez na história das Copas que a atual campeã perde as duas partidas seguidas e caiu do torneio antes da última rodada da fase de grupos.

Jogadores e comissão técnicas estavam profundamente abatidos com a derrota no Maracanã e evitaram fazer uma análise aprofundada da campanha catastrófica. “Temos que ter um período maior de tempo para fazer uma reflexão sobre tudo o que aconteceu", defendeu o treinador Vicente Del Bosque, no comando da seleção que encantou o mundo nos últimos anos e levantou os troféus de Campeã Mundial de 2010, e de duas Eurocopas consecutivas (2008 e 2012).

"Certo é que o trabalho que temos feitos nos últimos 25 dias foi adequado ;tivemos problemas em definir os 11 jogadores porque todos estavam muito bem”, explicou.

"No primeiro tempo estivemos muito tímidos, o que permitiu ao Chile nos pressionar . No segundo tempo tivemos mais ações, mas não insuficiente para inverter o resultado”, afirmou o treinador sobre mais um desempenho negativo da equipe.

" Pelo trabalho feito pelo grupo, se me dissessem que a Espanha seria eliminada na fase de grupos, não acreditaria", disse Del Bosque. "Lamento por todos os trocedores, mas somos nós que estamos sofrendo mais neste momento", confessou.

Disputa para fugir da lanterna

Os jogadores também não conseguiram disfarçar a profunda decepção com as duas derrotas e sobretudo a eliminação precoce e surpreendente. "O grupo está muito triste, tentamos encontrar algo positivo e não encontramos. Podemos olhar para trás e ver o que este grupo fez durante estes anos, mas não é o suficiente", declarou Fernando Torres em entrevista à Carlos Pizarro da Rádio França Internacional.

E ele foi mais longe: "Pensávamos que tínhamos futebol e jogadores para ir mais longe. Mas ser eliminados com apenas duas partidas jogadas, é algo muito triste", disse o atacante.

"É preciso parabenizar o Chile que foi melhor que nossa equipe, assim como a Holanda. E para o último jogo, defendemos uma seleção e vamos tentar terminar da melhor maneira possível", afirmou em referência à última partida contra a Austrália no próximo dia 23 na Arena de Curitiba.

As duas equipes já estão eliminadas e o resultado servirá para ver quem ficará com a lanterna do grupo. “Vamos tentar aproveitar, nem que seja esta última partida no Mundial e só depois analisar o que aconteceu", prometeu o atacante.

 Feito histórico para o Chile

O trauma espanhol no Maracanã contrastou com a alegria dos chilenos que procuraram valorizar o trabalho da equipe diante de um feito que ficará gravado na memória do futebol do país.

"Temos que valorizar o fato de que enfrentamos os campeões do mundo e que os eliminamos da Copa com autoridade, valentia e ataque", afirmou o treinador Jorge Sampaoli durante entrevista coletiva após a partida.
"São momentos que serão lembrados como uma vitória contra um grande rival e com a classificação para as oitavas de final com uma rodada de antecedência", destacou.

"Agora é pensar no próximo jogo e vencer para ficar em primeiro do grupo que é nosso objetivo », disse o treinador. Sampaoli confessou que já começou a ver as possibilidades de confrontos da próxima fase e, entre as opções, está o Brasil, o "avorito natural para o título", segundo ele. "Mas o grupo atual do Chile pode ser competitivo e jogar de igual para igual com qualquer seleção”, afirmou.

Entre os jogadores, Valdívia expressou sua imensa alegria em entrevista à RFI. "A Espanha era uma seleção que dispensa comentários, é campeã do mundo, e por isso estamos muito felizes com a vitória”, destacou.

“Seria muita falta de respeito falar que a seleção espanhola estaria mal fisicamente. Temos que valorizar o que o Chile fez hoje em campo”, declarou o meio atacante que atua pelo Palmeiras. “Desde que deixamos o Chile, dissemos que gostaríamos de ir o mais longe possível na competição, mas temos que ir com tranquilidade", avisou.

Contra a Holanda, o jogador estima que será tão difícil como foram as partidas contra a Austrália e Espanha. "Vamos dar nossa alma dentro de campo para terminar em primeiro do grupo, sem nos preocupar com quem vamos encontrar na próxima fase", garantiu.

"Classificar e ganhar contra a Espanha, campeã mundial te deixa com um moral incrível, mas sabemos que amanhã já temos que treinar e pensar na Holanda", disse. Chile e Holanda irão se enfrentar no dia 23 de junho, em São Paulo.
 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.