Acesso ao principal conteúdo
Brasil/Copa

Júlio César é herói em classificação dramática; Brasil pega Colômbia nas quartas

Jogadores brasileiros erguem Júlio César herói da classificação do Brasil.
Jogadores brasileiros erguem Júlio César herói da classificação do Brasil. Foto: Reuters

Pouco após comemorar a classificação dramática para as quartas de final ao vencer o Chile na cobrança de pênaltis, a seleção brasileira conheceu sua adversária nas quartas de final: a Colômbia que eliminou o Uruguai com uma vitória de 2 a 0 no Maracanã. É a primeira vez que os colombianos chegam a este nível da competição. A conquista inédita se deve sobretudo ao talento do jovem craque James Rodriguez que assumiu a artilharia do Mundial e entrou na concorrência com Neymar para ser a grande estrela desta Copa.

Publicidade

Os mais de 54 mil torcedores que foram ao Mineirão neste sábado (28) foram protagonistas de uma das partidas mais dramáticas da história do Brasil em Mundiais. E saíram do estádio aclamando de pé o goleiro Júlio César, o grande herói da classificação por ter feitos defesas excepcionais durante a partida e principalmente por ter defendido dois pênaltis dos chilenos Pinilla e Alexis, o que lhe garantiu também a eleição de melhor jogador em campo pela Fifa.

O terceiro pênalti perdido pelos chilenos foi o último de Gonzalo Jara que bateu na trave, o que garantiu a passagem do Brasil para a próxima fase. Wiliam e Hulk desperdiçaram suas cobranças para a seleção.

Além das defesas, Júlio César também será lembrado pelas lágrimas que derrubou antes da cobrança dos pênaltis. "Chorei porque muitos jogadores vieram me dizer muitas coisas, me apoiar e não consegui me conter", explicou. "E no plano pessoal, tive meu casamento, o nascimento de meus filhos. O coração tem espaço para tudo isso”, declarou emocionado.

O goleiro Júlio César defendeu dois pênaltis durante as cobranças e garantiu a classificação do Brasil.
O goleiro Júlio César defendeu dois pênaltis durante as cobranças e garantiu a classificação do Brasil. Foto: Reuters

Júlio César ofuscou completamente o brilho que todos se acostumaram a ver em Neymar. O atacante foi alvo de faltas duras no começo do jogo, que segundo ele "atrapalharam um pouco" seu rendimento. Mas sem criar muitas jogadas e com poucas oportunidades por ter recebido uma marcação eficiente, a maior estrela da seleção deixou o Mineirão preferindo elogiar a garra dos adversários.

“O Chile jogou como seleção grande. Todo muito que diz que jogar contra o Chile é fácil, mas não é. É uma equipe aguerrida, que não para de correr um minuto. Parabenizo a todos porque foi muito difícil para nós. É uma equipe de classe", afirmou Neymar.

O lateral esquerdo Marcelo acredita que o sofrimento da equipe contra o Chile servirá para dar mais maturidade à equipe, mas o time deve corrigir seus erros. "Devemos rever esse jogo para analisar que falhas não podemos mais cometer para não sofrer tanto assim", declarou.

Muitos jogadores também defenderam que seria uma injustiça se o Brasil não tivesse seguido adiante na competição pelo que apresentou em campo. "O Chile ficou muito com a bola, mas nós fomos mais objetivos e criamos mais oportunidades de gol", garantiu Oscar.

Sorte, mas não apenas

Visivelmente aliviados, os jogadores da seleção brasileira atribuíram também o desfecho feliz da partida à união do grupo, reconhecendo que o dia foi também de sorte. “Tivemos sorte sim, mas quem trabalha não conta só com a sorte. Essa palavra é muita ingrata no meio do futebol. Claro que acontece de vez em campo, mas ganhamos hoje porque temos um elenco forte e muito companheirismo dentro e fora de campo", afirmou o zagueiro Thiago Silva.

"Passando por um jogo como esse, com o Chile colocando a gente em muita dificuldade, a gente sai mais fortalecido para o próximo jogo", completou o capitão.

"A gente está crescento e tendo mais confiança. Cada vez que a gente passa (de fase), as energias vão se renovando. Estamos fazendo um bom trabalho e agora é continuar", afirmou Ramirez.

"A confiança aumenta ainda mais depois desse jogo, agora faltam três. Cada jogo será uma final como o de hoje contra o Chile e passo a passo vamos chegar à final", disse William que disse não ter ficado abalado ao perder um dos pênaltis do Brasil durante a cobrança.

Apesar de ter batido para fora, ele disse estar pronto para enfrentar a mesma situação. "Claro que fiquei triste, ninguém gosta de perder um pênalti. Estava confiante, tranquilo, mas infelizmente errei. Se tiver outra oportunidade, estarei pronto mais uma vez", afirmou.

Colômbia vem embalada com passagem inédita para as quartas

A Colômbia se classificou com mais facilidade que o Brasil ao derrotar o Uruguai com dois gols de James Rodriguez, eleito também o melhor jogador da partida. Depois do apito final, uma grande comemoração em campo e nas arquibancadas do Maracanã com a passagem, pela primeira vez na história da seleção, às quartas de final.

Os uruguaios parecem ter sentido bastante a falta de seu principal atacante, Luis Suárez, que deixou o mundial após ser punido com nove jogos de suspensão por ter mordido um zagueiro italiano na última rodada da fase de grupos. O time também ficou desfalcado na defesa, com a ausência do capitão Diego Lugano que não se recuperou de uma lesão.

Já o veterano Mario Yepes, de 38 anos, e seus companheiros não deixaram passar a oportunidade de fazer história na tarde deste sábado e vão disputar uma vaga nas semifinais com o Brasil na próxima sexta-feira, em Fortaleza.

A última participação dos « Cafeteros », como são conhecidos os jogadores colombianos, foi na Copa de 98 quando foram eliminados na primeira fase. A melhor participação da equipe em Mundiais foi nas oitavas de final na Copa de 90.

O meia atacante James Rodriguez comemora seu segundo gol contra o Uruguai no Maracanã.
O meia atacante James Rodriguez comemora seu segundo gol contra o Uruguai no Maracanã. Foto: Reuters

A Colômbia contou no jogo deste sábado com o talento de James Rodriguez, de 22 anos, que abriu o placar aos 28’ do primeiro tempo depois de dominar a bola e fuzilar o goleiro uruguaio com um chute belíssimo de esquerda de fora da área que entrou depois de tocar b na trave superior.

O meia atacante colombiano, que joga pelo Mônaco da França, completou o placar ao aproveitar uma bela assistência de cabeça de Juan Cuadrado aos 5’ do segundo tempo. O treinador José Pékerman substituiu o jogador cinco minutos antes do apito final e ele foi ovacionado ao deixar o gramado.

Com o resultado, a "Celeste", semifinalista da Copa de 2010, volta para casa depois de ter passado na primeira fase eliminando as favoritas Inglaterra (2-1) e Itália (1-0). A Colômbia já pode comemorar uma grande campanha neste Mundial, apesar de a equipe não contar com sua grande estrela, o atacante Radamel Falcão que não se recuperou de uma grave lesão.

Copa de James Rodriguez ?

Segundo o treinador da Colômbia, José Pékerman, essa será a Copa do meia atacante James Rodriguez, autor dos dois gols da vitória contra o Uruguai e que assumiu a liderança da artilharia da competição com cinco gols, um a mais que Neymar, Messi e o alemão Müller.

"Na minha longa experiência no futebol, já tive vários craques nas minhas equipes, verdadeiros líderes. Vejo tudo isso no James Rodriguez", declarou. "É incrível que com sua idade, ele não tem medo de responsabilidades. Ele tem tudo de um grande jogador de nível mundial. Nunca duvidei de que esta seria a Copa do Mundo de James Rodriguez", afirmou.

O treinador uruguaio, Oscar Tabarez, também se rendeu ao talento do jovem colombiano e o comparou a Maradona, Messi e Luis Suárez. "É um dos melhores jogadores do mundo, e não acho que estou exagerando", disse Tabarez em relação a James Rodriguez.
 

selfpromo.newsletter.titleselfpromo.newsletter.text

selfpromo.app.text

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.