Acesso ao principal conteúdo
Brasil/Copa

Costa Rica bate Grécia nos pênaltis e enfrenta Holanda nas quartas

Jogadores da Costa Rica comemoram classificação para as quartas de final da Copa do Mundo.
Jogadores da Costa Rica comemoram classificação para as quartas de final da Copa do Mundo. Foto: Reuters

Depois de superar três campeãs mundiais (Inglaterra, Itália e Uruguai) e terminar em primeiro lugar no "grupo da morte" deste Mundial, a seleção da Costa Rica eliminou nas oitavas de final a Grécia, campeã da Eurocopa de 2004, após as cobranças de pênalti. A classificação é inédita para este pequeno país da América Central que vai desafiar na próxima fase a Holanda, atual vice-campeã mundial.

Publicidade

A maior surpresa da Copa do Mundo prorrogou sua estada no Brasil e entrou, pela primeira vez em sua história, no seleto grupo das oito melhores seleções mundiais. Os costa-riquenhos mostraram muita garra e determinação ao enfrentar a Grécia na Arena de Recife e jogou a maior parte do segundo tempo com apenas 10 homens em campo.

Os "Ticos", como são conhecidos os jogadores, encantaram os fãs de futebol na primeira fase ao mostrar um jogo rápido e eficiente com passes curtos e jogadas ofensivas. Desta vez, a seleção demonstrou também muita força no setor defensivo. A Costa Rica abriu o placar aos 7’ com um chute bem colocado e surpreendente de Ruiz de fora da área que deixou o goleiro grego Karzenis sem ação.

Com um homem a menos em campo depois da expulsão do lateral direito Duarte, aos 21’ da etapa final, a seleção da Costa Rica se fechou para conter a pressão dos gregos e investiu nos contra-ataques. O empate da Grécia só aconteceu aos 46 minutos, já nos acréscimos com Papastathopoulos que aproveitou um rebote do goleiro Navas.

O resultado levou à prorrogação de 30 minutos, mas apesar da pressão e de algumas boas oportunidades, a Grécia não chegou ao gol que garantiria também uma classificação inédita para as quartas.

O futuro das duas equipes foi decidido nos pênaltis. Mostrando muita categoria e precisão, os jogadores da Costa Rica acertaram todas as suas cobranças e fecharam o placar em 5-3 depois que o goleiro Navas defendeu o quarto chute grego batido por Gekas.

Goleiro Navas defende pênalti do grego Gekas e garante Costa Rica nas quartas de final.
Goleiro Navas defende pênalti do grego Gekas e garante Costa Rica nas quartas de final. REUTERS/Damir Sagolj

Na próxima fase, a Costa Rica, pequeno país de 4 milhões de habitantes na América Central, vai pegar nas quartas outra equipe que impressionou na primeira fase, a Holanda. Depois de golear a Espanha por 5 a 1, passar pela Austrália por 3 a 2 e vencer o Chile por 2 a 0, os holandeses enfrentaram nas oitavas de final o México e o calor de 30 graus da Arena de Fortaleza.

Os holandeses perdiam o jogo por 1 a 0 até os 43 minutos do segundo tempo, quando viraram o placar de maneira espetacular. Sneijder empatou o jogo ao aproveitar uma bobeira da defesa mexicana e Huntelaar selou a classificação aos 49 minutos ao converter um pênalti sofrido por Robben, derrubado na área pelo zagueiro Rafa Marquez.

Profundamente irritado com a marcação, o treinador mexicano Miguel Herrera afirmou que sua equipe foi vítima de um "pênalti inventado", pelo juiz português Pedro Proença. O México não consegue superar sua maldição de ser sempre eliminado nas oitavas de final em Mundiais.

Rumo ao recorde de gols ?

Pela primeira vez na história da competição, houve duas cobranças de pênaltis na fase de oitavas de final para decidir as vagas para a próxima fase. Além de Costa Rica e Grécia, as seleções de Brasil e Chile tiveram que decidir seu futuro na Copa com cobranças de pênaltis após empate nos tempos regulamentar e na prorrogação.

Além dessa marca inédita, a Fifa informou neste domingo que a Copa no Brasil, com 145 gols marcados em 52 jogos, já atingiu o número total de gols de todo o mundial de 2010, na África do Sul, que teve 64 partidas.

A Copa no "país do futebol" já bateu o recorde de gols marcados na fase de grupos com 136 realizações, ou seja, 6 a mais do que na edição de 2002 disputada na Coreia do Sul e no Japão. A média de gols na primeira fase da Copa no Brasil foi de 2,83 em 48 jogos disputados. Após 52 partidas, a média caiu para 2,78.

 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.