Acesso ao principal conteúdo
Di Stéfano/lenda do futebol

Morre Di Stéfano, lenda do futebol mundial, aos 88 anos, em Madri

Di Stefano, de branco, à esquerda, e Kopa (à direita) com a Copa da Europa, em 1957, em Madri.
Di Stefano, de branco, à esquerda, e Kopa (à direita) com a Copa da Europa, em 1957, em Madri. AFP PHOTO

Alfredo Di Stéfano, nascido argentino e naturalizado espanhol, lendário jogador dos anos 40 e 50, morreu nesta segunda-feira (7), em Madri, aos 88 anos, dois dias depois de sofrer uma parada cardiorrespiratória que o deixou em coma. O anúncio foi feito pelo Real Madrid, time pelo qual jogou mais de dez anos. O clube madrileno lamentou "a perda do maior jogador de todos os tempos”.

Publicidade

Atacante veloz, elegante e artilheiro, Di Stéfano integra o seleto clube dos maiores da história do futebol mundial, sendo considerado por aqueles que o viram jogar uma estrela do mesmo porte dos astros Pelé e Maradona. A carreira de Di Stéfano começou no River Plate de Buenos Aires (49 gols em 66 jogos, entre 1945 e 1949).

Do River, pelo qual conquistou dois títulos argentinos (1945 e 1947), ele foi para o clube colombiano Millonarios, conquistando quatro campeonatos nacionais (1949, 1951, 1952 e 1953), com 267 gols marcados, antes de se transferir para o Real Madrid.

Naturalização

Vestindo a camisa merengue, Di Stéfano fez 308 gols em 396 partidas oficiais, disputadas em 11 temporadas (1953-1964). Como colegas de campo, ele teve a companhia de outros grandes nomes, como Raymond Kopa, Héctor Rial, Ferenc Puskas e Francisco Gento. Ele se naturalizou espanhol em 1956 e com a camisa da Fúria marcou 23 gols em 31 partidas da seleção.

Di Stéfano ajudou o Real a conquistar cinco Copas da Europa (antiga Liga dos Campeões da Europa) consecutivas entre 1956 e 1960, oito Ligas Espanholas, uma Copa Intercontinental, uma Copa da Espanha e duas Copas Latinas, na frente de um dos ciclos mais gloriosos da história do Real. Ele foi considerado um dos quatro melhores jogadores do milênio pela Federação Internacional de História e Estatística do Futebol. Em 2000, foi homenageado com o cargo simbólico de presidente honorário do Real Madrid.

Infarto

No sábado, o hispano-argentino, que no dia anterior havia comemorado 88 anos, sofreu um infarto durante um almoço de família, num restaurante próximo ao estádio Santiago Bernabéu, na capital espanhola. Depois de reanimado pelos serviços de emergência, ele foi mantido em coma induzido, respirando com ajuda de aparelhos, mas acabou não resistindo.

"O Real Madrid comunica que seu presidente de honra, Alfredo Di Stéfano, faleceu hoje (segunda-feira) no hospital Gregorio Marañón", anunciou o clube em comunicado.

Reações

As mensagens de pesar pela morte do craque foram muitas. Joseph Blatter, presidente da Fifa, disse ter ficado "muito triste" com a morte de Di Stéfano, seu "jogador preferido". "Um dia muito triste", tuitou Cristiano Ronaldo. Karim Benzema, Angel Di María e Gonzalo Higuaín também postaram mensagens lamentando a perda.

 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.