Acesso ao principal conteúdo
Justiça/Futebol

Tribunal mantém suspensão de Suárez, mas autoriza treinamentos

Suárez compareceu à sede do Tribunal Arbitral do Esporte (TAS), em Lausanne, na Suíça.
Suárez compareceu à sede do Tribunal Arbitral do Esporte (TAS), em Lausanne, na Suíça. REUTERS/Denis Balibouse

O Tribunal Arbitral do Esporte (TAS), na Suíça, anunciou nesta quinta-feira (14) que mantém a decisão sobre a suspensão de quatro meses do atacante uruguaio Luis Suárez, devido à mordida que o atleta deu no zagueiro italiano Giorgio Chiellini, durante a partida Uruguai e Itália na Copa do Mundo. Mas o craque da Celeste, que foi transferido do Liverpool para o Barcelona, está autorizado, a treinar na nova equipe.

Publicidade

Para os juízes de Lausanne, uma parte da pena imposta pela Fifa após a agressão contra Chiellini foi “proporcional ao erro” de Suárez, mas a proibição inicial, que impedia o jogador de exercer qualquer atividade relacionada ao futebol, foi “excessiva”.

Suárez, a Federação Uruguaia de Futebol e o Barcelona decidiram recorrer ao TAS no dia 24 de julho. Além da suspensão de nove partidas na Celeste, o atacante estava proibido também de jogar e até mesmo treinar durante quatro meses.

O tribunal de Lausanne tratou a questão em regime de urgência, decidindo que a pena era desproporcional à falta cometida pelo atleta. A decisão teria impacto sobre as condições físicas de Suárez que iriam além da data final da suspensão, de acordo com os juízes de Lausanne.

Com a decisão do TAS, o atacante poderá começar a jogar pelo Barcelona no final de outubro. Na Celeste, Suárez não poderá jogar ainda oito partidas, já que não entrou em campo na disputa entre Colômbia e Uruguai, última partida de sua seleção no Mundial do Brasil.

A decisão sobre a multa de € 80 mil (o equivalente a R$ 243 mil), que deverá ser paga por Suarez, também foi mantida pelo TAS.

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Faça o download da aplicação

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.