Acesso ao principal conteúdo
Tênis

Djokovic quebra 'maldição' e conquista o Masters de Paris

O tenista n° 1 do mundo, Novak  Djokovic, ergue o troféu conquistado neste domingo (2) no Masters 1000 de Paris.
O tenista n° 1 do mundo, Novak Djokovic, ergue o troféu conquistado neste domingo (2) no Masters 1000 de Paris. REUTERS/Benoit Tessier

O tenista Novak Djokovic venceu pela segunda vez consecutiva o Masters de Paris, neste domingo (2), e manteve sua liderança no ranking mundial. O sérvio massacrou o canadense Milos Raonic na final do torneio, com parciais de 6-2 e 6-3, arrecadando o prêmio de pouco mais de € 570 mil euros, cerca de R$ 1,7 milhão de reais.

Publicidade

Este é o 47º título da carreira de Djokovic no circuito mundial, e o sexto em 2014, depois de ter conquistado o Open da China, os Masters de Roma, Miami e Indian Wells e ainda Wimbledon. Djokovic também quebrou uma suposta "maldição" ligada ao estádio de Bercy, já que nenhum outro campeão tinha conseguido o bicampeonato consecutivo na quadra parisiense até hoje.

A superioridade de Djokovic sobre Raonic ficou visível logo nos primeiros minutos da partida, o que tirou um pouco do suspense do resultado. Mas foi uma vitória merecida do sérvio, que aproveitou 75% das bolas de jogo. Sétimo do ranking, o canadense ainda sofreu com uma dor no tornozelo direito.

Raonic disputava sua segunda final de um torneio Masters 1000. Apesar da derrota, ele voltará para casa com a vitória sobre o suíço Roger Federer, o que deixou livre o caminho para Djokovic conquistar o título em Bercy.

O sérvio seguirá número 1 do ranking mundial da ATP, à frente de Federer. O suíço mantém as chances de destronar Djokovic até o fim da temporada, pois ainda vai disputar as finais ATP e a Taça Davis.

Após o jogo, os finalistas receberam seus respectivos troféus das mãos de David Luiz, zagueiro brasileiro do Paris Saint-Germain, que acompanhou o duelo das tribunas.

selfpromo.newsletter.titleselfpromo.newsletter.text

selfpromo.app.text

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.