Acesso ao principal conteúdo
Natação/Mundial

Brasil confirma ser "potência" da natação e Cielo amplia vantagem sobre franceses

Felipe França (à esq.), Cesar Cielo e Etiene Medeiros, exibem suas medalhas conquistadas no Mundial de Piscina Curta, em Doha.
Felipe França (à esq.), Cesar Cielo e Etiene Medeiros, exibem suas medalhas conquistadas no Mundial de Piscina Curta, em Doha. CBDAFACEBOOK

Ao analisar os resultados finais do Mundial de Piscina Curta disputado em Doha, no Catar, a imprensa francesa estima que o Brasil confirmou seu status de "potência mundial" da natação ao terminar como campeão do quadro de medalhas. E o principal diário especializado em esporte se rende à superioridade de Cesar Cielo sobre os nadadores franceses.

Publicidade

"O Brasil deslumbrou com dez medalhas, sendo sete douradas", escreveu a agência AFP, afirmando que o país lançou um "aviso" a seus adversários para as Olimpíadas de 2016.

Entre os destaques brasileiros citados pela agência está Felipe França, que colocou no peito cinco medalhas de ouro, entre elas a de campeão dos 50m peito no domingo com o tempo de 25'63.

Cielo, o "carrasco" dos franceses

Com o título, "A maldição persiste", o diário L'Equipe lembra na sua edição desta segunda-feira (8) que Cesar Cielo venceu 8 vezes os franceses e perdeu apenas 3 em confrontos desde 2008 nos 50 e 100 metros.

Na última batalha, neste domingo, o brasileiro venceu a final dos 100 metros do Mundial de Piscina Curta de Doha com o tempo de 45 segundos e 75 décimos, apenas 6 centésimos de segundos à frente da grande estrela da natação francesa, Florent Manaudou. 

O francês largou à frente e vencia a prova até que Cielo foi mais rápido na batida de mão. Em entrevista na saída da piscina, Manaudou admitiu: "Cesar Cielo é um grande campeão. E o melhor venceu".

O diário lamenta que o brasileiro tenha impedido mais uma vez que a França tenha pela primeira vez um campeão mundial nos 100 metros.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.