Acesso ao principal conteúdo
Tênis

Tenistas brasileiros arrancam bem na qualificatória de Roland Garros

O gaúcho André Ghem segue na disputa.
O gaúcho André Ghem segue na disputa. Divulgação

Dois tenistas brasileiros começaram com vitória, na manhã desta terça-feira (19), a disputa do qualifying de Roland Garros, o torneio que preenche as últimas vagas do quadro principal do Aberto da França – o segundo Grande Slam da temporada. A fase "quente" da competição começa no domingo (24).

Publicidade

Guilherme Clezar, 22 anos, venceu o australiano Benjamin Mitchell por 2 sets a zero, parciais de 7/6 e 6/4. Na próxima fase, ele vai enfrentar o também australiano Luke Saville. Logo depois, André Ghem, 32 anos, bateu o croata Antonio Veic, também por dois sets a zero, parciais de 7/5 e 6/1. Na próxima etapa, Ghem enfrentará o experiente espanhol Alberto Montañes.

Esta foi apenas a primeira etapa do desafio. Os dois tenistas gaúchos precisarão vencer mais duas partidas do qualifying para poderem participar do torneio principal de Roland Garros, que começa no domingo (24). Neste ano, 128 tenistas disputam apenas 16 vagas no quadro principal.

Dois brasileiros já estão classificados para o torneio: os paulistas João Souza e Thomaz Bellucci. No feminino, a pernambucana Teliana Pereira, 130ª no ranking mundial, também precisará passar pela fase qualificatória. No último sábado, Teliana foi desclassificada de outro torneio francês, o challenger de Saint-Gaudens, por ter arremessado a raquete contra o público depois de perder o último ponto de um set.

Polêmica fora da quadra

O torneio de Roland Garros deste ano pode marcar o fim de uma hegemonia de praticamente 10 anos de Rafael Nadal – desde 2005, ele só não venceu em 2009. Mas o ano não é bom para o espanhol, que venceu apenas um torneio, em Buenos Aires. Ele foi derrotado pelo italiano Fabio Fognini, além do seu rival sérvio Novak Djokovic e também pelo britânico Andy Murray, que tirou de Nadal o título do Masters de Madrid. Nadal também foi eliminado nas quartas-de-final do Masters 1.000 de Roma por Stanislas Wawrinka.

O torneio também começa acompanhado de uma polêmica extra-quadra. O projeto de ampliação do complexo da tradicional competição, que fica em uma área nobre do 16º distrito de Paris, provocou reações de associações de defesa do meio ambiente.

Isso porque o novo estádio previsto pela Federação Francesa de Tênis, com capacidade para 5 mil lugares, seria construído sobre uma área verde contígua às quadras atuais. As entidades querem que a ampliação seja feita em outra direção, e o conflito está sendo mediado pela prefeitura de Paris.

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Faça o download da aplicação

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.