Acesso ao principal conteúdo
Eslováquia/Crise

Eslováquia aprova reforma do fundo de estabilidade europeu

A primeira-ministra eslovaca, Iveta  Radicova, durante sessão no Parlamento nesta quinta-feira.
A primeira-ministra eslovaca, Iveta Radicova, durante sessão no Parlamento nesta quinta-feira. REUTERS/Petr Josek

Após ter recusado o projeto durante a semana, o parlamento eslovaco aprovou nesta quinta-feira a ampliação do Fundo Europeu de Estabilidade Finaneira (FESF). A medida deve reforçar o sistema de defesa contra a crise da dívida na região. A Eslováquia era o último país da zona do euro a se exprimir sobre o assunto.

Publicidade

A aprovação do FESF pelo parlamento eslovaco foi comemorada pelas autoridades europeias. Os presidentes da União Européia, Herman van Rompuy, e da Comissão Europeia, José Manuel Durão Barroso, disseram em um comunicado comum que a decisão da Eslováquia torna o Fundo “totalmente operacional”. Segundo eles, a medida oferece ao bloco “um instrumento mais forte e mais flexível para defender a estabilidade financeira na zona do euro”.

Mas a aprovação não foi fácil, já que os parlamentares recusaram a medida durante uma primeira votação no início da semana. E como o país era o último dos 17 membros do grupo a se exprimir sobre o assunto, o FESF poderia ter sido bloqueado por causa desse veto. Mas graças a um acordo obtido com a coalizão no poder e a oposição eslovaca, Bratislava finalmente aceitou o aumento para 440 bilhões de euros desse fundo de ajuda.

Com a ampliação, o FESF poderá ajudar os países mais endividados do bloco, como a Grécia. Além de permitir a compra de títulos de dívidas dos países em dificuldades, o Fundo também poderá oferecer linhas de crédito às nações e às instituições bancárias em situação de risco.

 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.