Acesso ao principal conteúdo
Alemanha/Defesa

Especialistas em defesa discutem consequências das revoltas árabes

Policiais fazem controle de motoristas no local onde se realiza a 48ª Conferência sobre Segurança de Munique.
Policiais fazem controle de motoristas no local onde se realiza a 48ª Conferência sobre Segurança de Munique. REUTERS/Michael Dalder

A Primavera Árabe será um dos destaques da Conferência sobre Segurança de Munique, fórum de três dias iniciado hoje no sul da Alemanha. Um dos principais eventos do setor da defesa internacional, o encontro reúne líderes políticos, diplomatas e generais do mundo todo para discutir os rumos da política de segurança global. Este ano, 300 participantes e 200 obervadores de mais de 70 países tomam parte nos debates.  

Publicidade

Marcio Damasceno, de Berlim para a RFI

A conferência vai discutir o clamor popular pela democracia nos países árabes e suas consequências para a política global de segurança. Um foco especial deve ser a situação na Síria, além da disputa envolvendo o programa atômico iraniano.

O fórum deve apresentar uma sugestão de acordo no litígio entre Estados Unidos e Rússia a respeito do escudo antimíssil europeu. O tema de segurança cibernética também está em pauta. Outro grande destaque da Conferência sobre Segurança de Munique é a nova estratégia militar norte-americana.

Washington decidiu cortar 450 bilhões de dólares em gastos de defesa e reduzir sensivelmente seu contingente militar estacionado no leste da Europa, para se concentrar futuramente na área do Pacífico. Os países asiáticos formam o novo foco de disputa e influência das duas maiores potências mundiais, Estados Unidos e China.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.