Acesso ao principal conteúdo
França/Itália

Hollande e Monti veem evolução na gestão da crise das dívidas

O presidente francês, François Hollande, e o premiê italiano, Mario Monti, durante encontro desta terça-feira na Villa Madama, em Roma.
O presidente francês, François Hollande, e o premiê italiano, Mario Monti, durante encontro desta terça-feira na Villa Madama, em Roma. REUTERS/Alessandro Bianchi

Em Roma, onde se encontraram nesta terça-feira para discutir a crise na zona do euro, o presidente francês François Hollande e o premiê Mario Monti anunciaram uma reunião bilateral em Lyon, prevista para dezembro. Os dois líderes também discutiram as questões envolvendo o equilíbrio orçamentário europeu e cobraram uma atuação mais clara do BCE.

Publicidade

O presidente francês e o primeiro-ministro italiano se disseram ‘’otimistas’’ com o próximo Conselho Europeu, que acontece em outubro. De acordo com François Hollande e Mario Monti, os líderes da zona do euro deverão tomar decisões cruciais para diminuir a diferença entre as taxas de juros da dívida pública entre os países do bloco. ‘’É no Conselho que serão tomadas medidas para a Grécia, a Espanha, e daremos mais um passo para aprofundar a união econômica e monetária’’, disse o presidente francês François Hollande em uma coletiva concedida ao lado de Mario Monti, logo depois do encontro, em Roma.

De acordo com eles, existe uma evolução na gestão da crise das dívidas, mas que não é normal que a Itália e a Espanha sejam obrigadas a realizar empréstimos a taxas de juros elevadas, apesar dos esforços para reduzir os gastos e ajustar o orçamento. O presidente francês também ressaltou que era o papel das instituições europeias tomar decisões para diminuir as diferenças de taxas de juros da dívida pública entre os países do bloco. O premiê italiano lembrou que o presidente do BCE, Mario Draghi, prometeu rever as taxas.

O dirigente do Banco Central Europeu deve abordar a questão nesta quinta-feira, na apresentação de um novo plano de aquisição de obrigações para controlar a crise das dívidas soberanas. Para muitos setores, as medidas simbolizam os esforços da instituição para preservar a zona do euro e é um sinal claro para os mercados. Depois do encontro com Monti, Hollande ainda declarou que os líderes europeus deveriam se reunir com mais frequência, e que a França dará o exemplo no equilíbrio orçamentário, "com redução dos déficits e despesas estáveis." Segun do o presidente francês, o governo está em ‘’plena convergência com a Alemanha e a Itália para resolver as questões ‘’de todos os europeus’’, que devem trazer respostas claras para a crise na zona do euro.

Cúpula França-Itália em Lyon

Hollande e Monti também anunciaram uma reunião bilateral prevista para dezembro, em Lyon. Um dos principais temas será o projeto do trem de alta velocidade que deve ligar a cidade francesa a Turin, na Itália. O premiê italiano declarou nesta terça-feira que a cúpula seria uma oportunidade de concretizar o projeto, que suscita diversas críticas na Itália. Para muitos setores, os investimentos em infraestrutura são inadequados em tempo de recessão. O novo TGV, que está sendo discutido há 20 anos, poderia entrar em funcionamento em 2023, e ligaria Paris e Milão em quatro horas.
 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Faça o download da aplicação

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.