Acesso ao principal conteúdo
Grécia/Crime

Rapper militante de esquerda é assassinado por neonazista na Grécia

Pavlos Fryssas era conhecido como o rapper Killah P.
Pavlos Fryssas era conhecido como o rapper Killah P.

Um cantor de rap grego de 34 anos, militante de extrema-esquerda, morreu na madrugada de hoje, 18 de setembro de 2013, depois de ter sido esfaqueado ontem à noite na periferia de Atenas. O autor do crime é um ativista do partido neonazista Aurora Dourada.

Publicidade

O suspeito, um homem de 45 anos, foi preso ainda em posse da arma do crime. Ele admitiu o homicídio à polícia, mas o partido neonazista está denunciando uma exploração política do caso.

A vítima, o rapper Pavlos Fryssas, chegou a ser transferida para um hospital, mas não resistiu. Ele era militante de um pequeno movimento de extrema-esquerda chamado Antarsya. Em repúdio ao assassinato, o grupo convocou uma série de protestos hoje em toda a Grécia.

Um comunicado do grupo pede aos gregos que se unam contra o fascismo e a ameaça racista. O rapper teria sido vítima de uma emboscada preparada por 40 neonazistas, na porta de uma cafeteria em Keratsini, periferia oeste de Atenas. Testemunhas contaram que eles estavam vestidos de preto e armados com bastões de madeira e borracha.

O porta-voz do governo grego prometeu tomar medidas para evitar outros incidentes desse tipo. A Grécia enfrenta hoje um dia de greve geral no setor público pelas dificuldades criadas com o programa de austeridade impostos pelos credores internacionais. Desde o início da crise, os neonazistas reforçaram sua presença no cenário político local e hoje são a terceira força política do parlamento, com 18 deputados.

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Faça o download da aplicação

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.