Acesso ao principal conteúdo
Alemanha

Alemanha acelera investigações sobre “tesouro nazista”

Dois quadros desconhecidos do artista Otto Dix estavam entre as obras de arte roubadas pelos nazistas e encontradas no apartamento de Cornelius Gurlitt.
Dois quadros desconhecidos do artista Otto Dix estavam entre as obras de arte roubadas pelos nazistas e encontradas no apartamento de Cornelius Gurlitt. REUTERS/Michael Dalder/Files

O governo da Alemanha anunciou que vai acelerar as investigações sobre as origens de quadros do chamado “tesouro nazista” e fazer um inventário dos trabalhos.

Publicidade

No momento, 25 dos mais de 1.400 desenhos, gravuras e pinturas descobertos num apartamento de Munique já podem ser vistos no site lostart.de. Segundo Berlim, esse é apenas o começo. Algumas das pinturas encontradas são suspeitas de terem sido roubadas, compradas a preços excessivamente baixos ou confiscadas de judeus pelos nazistas durante a ditadura de Hitler.

Esses trabalhos vão ser mostrados na internet para facilitar a busca pelos possíveis donos originais. A Alemanha responde, assim, às críticas de entidades judaicas, que acusavam as autoridades de fazer pouco para esclarecer a origem das peças que possivelmente foram tomadas de famílias de judeus no período da Segunda Guerra Mundial.

Os quadros, que incluem trabalhos de nomes como Picasso, Matisse e Renoir, foram encontrados no começo do ano passado no apartamento de um filho de um colecionador de arte que supostamente colaborava com o governo nazista durante o Terceiro Reich.

A descoberta das obras havia sido mantida em sigilo pelas autoridades por ter ocorrido no âmbito de investigações do fisco alemão contra o herdeiro e atual dono dos quadros que é um homem de quase 80 anos de idade.

 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Faça o download da aplicação

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.