Acesso ao principal conteúdo
França/Rússia

Rússia teria dado ultimato para França entregar navio em duas semanas

A edição de fim de semana do jornal conservador Le Figaro diz que o presidente russo Vladimir Putin teria dado um ultimato ao governo francês durante a cúpula do G20 na Austrália. Ou Paris entrega o navio de guerra Mistral comprado pela Rússia nas próximas duas semanas, ou Moscou promete exigir “sérias compensações financeiras”.

Publicidade

A polêmica sobre os navios de guerra se estende desde o início do conflito entre Rússia e Ucrânia. A França havia vendido a Moscou duas gigantescas embarcações de guerra do tipo Mistral e prometia entregar a primeira delas, chamada Vladivostock, no final deste ano. Após o inicio do conflito ucraniano, a François Hollande acabou sendo pressionado por outros países ocidentais a não entregar a encomenda e, desde então, há o impasse.

Outra informação em primeira mão trazida pelo Figaro sobre o caso é a de que os canadenses poderiam estar interessados em comprar o Mistral, caso o negócio com a Rússia seja definitivamente anulado. A marinha do Canadá está justamente neste momento fazendo investimentos para se modernizar, e Hollande estreitou relações com o país em sua visita mais recente, no mês passado.

Mais assuntos militares

Já a manchete do Le Monde deste fim de semana pergunta: “A França tem condições financeiras de manter três frontes de guerra?”. A interrogação surge porque, nesta semana, o governo anunciou que vai retificar o orçamento de 2014 para fazer caber as despesas militares do país no Mali, no Iraque a na Republica Centroafricana.

O problema é que, no final das contas, o governo Hollande descobriu que a brincadeira custaria € 800 milhões a mais do que o esperado inicialmente. Tudo isso para manter 20 mil soldados atuando. E mesmo com todo esse gasto, o jornal revela que os soldados precisam trabalhar em condições não muito boas, porque falta dinheiro no fronte.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.