Acesso ao principal conteúdo
Naufrágio

Novo naufrágio no Mediterrâneo deixa pelo menos 700 mortos

Novo naufrágio nas águas do Mediterrâneo pode ter deixado 700 mortos.
Novo naufrágio nas águas do Mediterrâneo pode ter deixado 700 mortos. AFP PHOTO / GIOVANNI ISOLINO

Mais um trágico drama no Mediterrâneo pode ter deixado 700 vítimas na madrugada deste domingo (19). Segundo a Agência das Nações Unidas para Refugiados (Acnur), uma embarcação com imigrantes clandestinos naufragou na costa da Líbia. A guarda costeira italiana comanda uma operação urgente de socorro na manhã deste domingo. Até o momento, apenas 28 pessoas foram resgatadas.

Publicidade

Nesta madrugada, segundo informações do jornal Times of Malta, 28 pessoas foram resgatadas após o naufrágio na costa da Líbia. O barco pesqueiro vinha do Egito e se acidentou próximo ao Canal da Sicília a 120 milhas náuticas do sul da ilha italiana de Lampedusa.

Um alerta de problemas no barco egípcio foi dado por volta de meia-noite, horário local. Um cargueiro português atendeu ao pedido de socorro. Mas, segundo testemunhas, os cerca de 700 passageiros correram para o mesmo lado do convés ao perceberem a aproximação do outro barco, o que teria provocado a tragédia.

Desde as primeiras horas após o acidente, a Guarda Costeira italiana acionou uma operação de socorro. A Marinha militar, a Aeronáutica a e Marinha mercante também se juntam aos esforços para tentar localizar as vítimas do naufrágio. As autoridades da Itália e de Malta afirmam que 24 corpos foram encontrados.

Para a ONU, essa já é uma “tragédia sem precedentes” na região. A porta-voz da Acnur na Itália, Carlotta Sami, lamentou mais esse drama com imigrantes que tentam chegar à Europa. Segundo Sami, essa é mais uma prova de quão “inescrupulosos” são os atravessadores que lucram com o comércio ilegal da imigração clandestina.

Reações após a tragédia

O presidente francês François Hollande afirmou neste domingo que conversou por telefone com o premiê italiano, Matteo Renzi. Eles concordaram que é preciso ampliar os esforços para monitorar o Mediterrâneo e evitar novos dramas como o desta madrugada. No começo da semana passada, outro naufrágio deixou pelo menos 450 mortos, segundo estimativas preliminares.

Hoje, o papa Francisco fez um apelo para que a comunidade internacional aja « rapidamente » diante da multiplicação de “tragédias no Mediterrâneo”. Esses imigrantes são “mulheres e homens como nós”, disse o papa diante de milhares de fiéis na Praça São Pedro.

 

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.