Acesso ao principal conteúdo
Vaticano

Críticas ao capitalismo e defesa dos pobres marcaram visita do Papa à América do Sul

REUTERS/Mario Valdez

O Papa Francisco despediu-se, este domingo, dos fiéis da América do Sul com uma missa na periferia de Assunção, a capital do Paraguai.

Publicidade

O Papa Francisco está de regresso ao Vaticano depois de uma viagem iniciada a 05 de Julho que o levou ao Equador, depois à Bolívia e, por fim, ao Paraguai.

Na visita ao Paraguai, o Sumo Pontífice condenou o capitalismo selvagem e a corrupção, defendeu os pobres e os marginalizados, tendo visitado um dos bairros da zona mais pobre da capital Assunção, Bañados, onde vivem milhares de pessoas em precárias condições de vida.

Na viagem de regresso, a bordo do avião, durante uma sessão de perguntas e respostas com os jornalistas, o Papa admitiu ser um “erro” da sua parte não falar sobre a classe média “cada vez mais reduzida” nem sobre as suas dificuldades.

Por outro lado, o Sumo Pontífice disse esperar que se encontre “uma solução para o problema grego” e que se encontre “uma forma para supervisionar as coisas para que o mesmo problema não afecte outros países".

O Papa tem feito da luta contra a pobreza um dos temas dominantes do seu pontificado e durante os oito dias de visita a três dos países mais pobres do continente sul-americano reiterou as críticas contra o capitalismo.

Aura Miguel, jornalista na Rádio Renascença e especialista do Vaticano, cobriu a viagem do Papa à América do Sul e considera que a mensagem do Sumo Pontífice para uma política mais democrática e participativa foi bem recebida.

O Papa Francisco deverá ir a Cuba e aos Estados Unidos em Setembro.

 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Faça o download da aplicação

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.