Acesso ao principal conteúdo
França

Política hospitalar de Macron denunciada nas ruas de cidades em França

Milhares de médicos, enfermeiros e estudantes nas ruas de Paris reclamando melhores condições de trabalho.
Milhares de médicos, enfermeiros e estudantes nas ruas de Paris reclamando melhores condições de trabalho. REUTERS/Johanna Geron

Milhares de manifestantes, sobretudo médicos, enfermeiros e pessoal dos hospitais públicos estiveram hoje nas ruas das cidades de França para denunciar a política hospitalar do presidente Macron, reclamando mais postos de traballho e aumentos dos ordenados. O Presidente Macron reagiu ao apelo dos manifestantes anunciando um plano consequente para os próximos dias.

Publicidade

Os hospitais públicos foram hoje paralisados por greves e manifestações nas ruas das cidades francesas com médicos, enfermeiros e quadros de gestão hospitalar a reclamar mais melhores condições de trabalho nomeadamente aumento de salários e criação de empregos.

O apelo a uma "grande manifestação", lançado pelo colectivo Inter-Hospitais, foi largamente ouvido a começar pelo colectivo Inter-Urgências, na origem das manifestações de hoje nas cidades francesas.

Em Paris, houve 10.000 manifestantes segundo os oraganizadores, várias centenas em Lyon, 300 em Tulouse ou Bordéus, uma centena em Marselha e 150 em Besançon.

"Devemos assumir e ter uma política de investimentos mais forte do que aquela em vigor", reagiu imediatamente o Presidente Macron garantindo tendo "escutado a ira e a indignação" dos agentes hospitalares.

"Um plano "consequente e decisões fortes" serão anunciados na quarta-feira pelo Primeiro ministro, Édouard Philippe.

O primeiro ministro, dará os detalhes sobre os "montantes, a dimensão, modalidades e o calendário", precisou o presidente da República, na altura em que milhares de médicos, enfermeiros, serventes, professores e estudantes denunciavam nas ruas de França o mal estar nos hospitais públicos.

 

selfpromo.newsletter.titleselfpromo.newsletter.text

selfpromo.app.text

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.