Acesso ao principal conteúdo
Crime/ Argentina

Suspeitos de matar francesas na Argentina são ouvidos pela justiça

Os corpos das duas francesas aguardam liberação para serem levados à França.
Os corpos das duas francesas aguardam liberação para serem levados à França. REUTERS/Jorge Luperne

A investigação sobre o estupro e o assassinato das turistas francesas Houria Moumni e Cassandre Bouvier na cidade de Salta, no norte da Argentina, teve um grande avanço neste domingo. Dois dos sete suspeitos de envolvimento no caso detidos pela polícia teriam assumido que tudo começou com uma tentativa de roubo.

Publicidade

Segundo o jornal local El Tribuno de Salta, Ricardo Vera, de 37 anos, e Dario Ramos, de 47 anos, tentaram roubar o celular de uma das vítimas e ela teria reagido. Por isso, os homens começaram a agredi-las e, em seguida, estupraram as jovens francesas. Mas os acusados negam ter assassinado as turistas. Eles afirmam que o responsável pelos tiros é Daniel Vilte, que está preso desde a última terça-feira e com quem foi encontrada a provável arma do crime.

Vera é vigilante num condomínio residencial próximo a onde foram encontrados os corpos, e Ramos é guia da reserva natural de La Quebrada de San Lorenzo, onde as vítimas foram vistas pela última vez. Durante o interrogatório, eles também teriam envolvido outros suspeitos já detidos pela polícia: o recruta da polícia Gustavo Laxi, de 24 anos, seu pai e sua namorada, que teria ativado o chip do celular roubado de uma das vítimas.

O porta-voz da Procuradoria, Marcelo Baez, não confirmou oficialmente as informações do jornal, mas disse que os sete suspeitos serão ouvidos hoje e amanhã pela Justiça argentina “porque eles têm muito a dizer”. O presidente francês Nicolas Sarkozy agradeceu à presidente Cristina Kirchner pela rapidez na investigação do caso.

As jovens francesas foram encontradas mortas no dia 29 de julho, nos arredores da cidade turística de Salta, no norte da Argentina. Houria Moumni, 24 anos, e Cassandre Bouvier, 29, não foram mais vistas depois do dia 15 de julho, quando começaram a visita na reserva natural de La Quebrada de San Lorenzo, situada a 12 km de Salta.

Os exames de balística que permitirão saber a data exata da morte das jovens só estará disponível daqui a 10 dias. Os corpos das vítimas foram transferidos para Buenos Aires na noite da sexta-feira e aguardam serem repatriados para a França.

Com a colaboração de Victória Álvares
 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Faça o download da aplicação

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.