Acesso ao principal conteúdo
Carla Bruni

Em edição de Natal da revista Vogue, Carla Bruni defende união gay

A ex-primeira-dama francesa Carla Bruni.
A ex-primeira-dama francesa Carla Bruni. Gravier Productions/Mars distribution

A ex-primeira-dama Carla Bruni está na capa da revista Vogue francesa de dezembro. Na entrevista da edição especial, ela se declara “a favor do casamento homossexual e da adoção” por casais do mesmo sexo. Mas ela acrescenta que a opinião não é a mesma do marido, o ex-presidente Nicolas Sarkozy.

Publicidade

“Sou favorável à questão, pois tenho muitos amigos – homens e mulheres – que se enquadram nessa situação e não vejo nada de instável ou de perverso em relação às famílias com pais homossexuais”. Carla diz ainda que talvez esses casais até tenham um empenho maior como pais, por causa das cobranças da sociedade.

A questão da união de pessoas do mesmo sexo e a adoção de crianças por casais homossexuais é um debate que vem dividindo a sociedade francesa. Os tópicos são promessas de campanha do atual presidente francês, François Hollande, e devem ser debatidas no parlamento no começo de 2013.

A ex-top model e cantora explica que Sarkozy “tende a ser contra por ser um político”, comprometido com visões mais gerais da sociedade. Questionada sobre o futuro do ex-presidente, Carla desvia o rumo e diz que não tem mais vontade de falar no assunto. “Não tenho mais vontade, nem a obrigação de falar sobre um mundo que me ensinou muito, que me abriu os olhos e o espirito, mas que no fundo não é o meu”, declarou.

Carla Bruni afirma ainda que não é “militante feminista” e assume seu lado burguês. “Minha geração não tem mais necessidade de ser feminista, as pioneiras já abriram esse caminho”, diz? “Adoro minha vida de família, de fazer as mesmas coisas todos os dias, de ter um marido, sou uma verdadeira burguesa”, conclui a ex-primeira-dama.
 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Faça o download da aplicação

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.