Acesso ao principal conteúdo
França/Racismo

Candidata da extrema-direita compara ministra francesa a macaco

A candidata da Frente Nacional Anne-Sophie Leclère (dir.) ao lado de Marine Le Pen.
A candidata da Frente Nacional Anne-Sophie Leclère (dir.) ao lado de Marine Le Pen. Reprodução/Facebook

O partido de extrema-direita Frente Nacional suspendeu hoje a candidatura de Anne-Sophie Leclère às eleições municipais de 2014 depois de suas declarações de ontem em um dos programas mais populares da televisão francesa. Ainda como candidata de Rethel, nordeste da França, Anne-Sophie Leclère comparou a ministra da Justiça da França, Christiane Taubira, a um macaco.

Publicidade

As declarações racistas da candidata Anne-Sophie Leclère contra a ministra da Justiça, que é negra, foram feitas no programa “Envoyé spécial” sobre os novos rostos da Frente Nacional no canal France 2, um dos mais populares da França.

Na sua página no Facebook, a candidata do partido de extrema-direita fez uma montagem fotográfica associando a imagem da ministra à foto de um macaco. Movimentos conservadores na França têm criticado duramente a ministra da Justiça pelo seu projeto de incentivo a penas alternativas para diminuir a população carcerária da França e também pela lei que autorizou o casamento entre homossexuais. 

Questionada pela reportagem do programa sobre esse ataque pessoal à ministra, Anne-Sophie Leclère respondeu : "Prefiro vê-la em cima de um galho de árvore que no governo", declarou. Ela disse ainda que a ministra da Justiça é uma “selvagem” com um "sorriso diabólico”. Apesar desse discurso, ela afirma não ser racista. «Um macaco é um animal. Um negro é um ser humano”, afirmou. "Tenho amigos que são negros", continuou.

Depois da polêmica gerada pelas palavras, a candidata retirou do seu perfil na rede social a montagem com a ministra francesa. A Frente Nacional também tenta apaziguar os ânimos e anunciou na manhã desta sexta-feira que a candidatura de Anne-Sophie Leclère está temporariamente “suspensa” pelo comitê de disciplina do partido.

A candidata suspensa ainda não fez comentários sobre a sanção do partido. Na sua página no Facebook, ela continua a exibir a sua foto ao lado da líder da Frente Nacional, Marine Le Pen. Marine Le Pen, aliás, tem feito uma campanha na imprensa para impedir que o seu partido seja taxado de extrema-direita. Ela ameaça inclusive processar os veículos que continuarem a adotar o termo. Segundo Le Pen, esse rótulo prejudica a imagem da Frente Nacional.

Jornais como Le Monde e Libération dizem, porém, que não vão mudar de nomenclatura. “Essas ameaças de processo da Frnte Nacional não são novas. Jean-Marie Le Pen já tentou a mesma coisa nos anos 90, mas fracassou", escreve o jornal Le Monde.

 

 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Faça o download da aplicação

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.