Acesso ao principal conteúdo
França/Protesto

Diretor de teatro tenta forçar grades do palácio do Eliseu de carro em protesto

Entrada principal do palácio do Eliseu; um homem tentou forçar a entrada no local com seu carro nesta quinta-feira.
Entrada principal do palácio do Eliseu; um homem tentou forçar a entrada no local com seu carro nesta quinta-feira. Ex13/Open access

O diretor de um teatro parisiense foi detido para averiguações na mahã desta quinta-feira, 26 de dezembro de 2013, depois de tentar forçar com seu carro as grades do palácio do Eliseu, sede da presidência francesa. Ele não conseguiu entrar, mas provocou a criação de um perímetro de segurança diante do prédio.

Publicidade

Segundo os primeiros elementos da investigação, o homem, de nacionalidade italiana, lançou seu carro contra as grades que cercam o palácio do Eliseu no lado que dá para a avenida de Champs-Elysées. Mas ele estava em baixa velocidade e conseguiu somente bater de leve nas grades, segundo a polícia.

Ele foi imediatamente detido pelas forças de segurança presentes no local e logo em seguida colocado em prisão provisória. Um perímetro de segurança foi criado diante do palácio após o incidente.

Esse diretor do teatro La Comédie Italienne, situado na rua de la Gaîté, no 14° distrito, já havia sido detido pela polícia nesta quarta-feira nas redondezas do palácio do Eliseu.

Ele havia tirado de seu carro um manequim vestido de Arlequim, ao qual ateou fogo. Em seguida o homem jogou na rua panfletos no qual denunciava a redução das subvenções para o seu teatro. Na ocasião ele foi interrogado e liberado pela polícia.

A ação desta quinta-feira também parece estar ligada à redução das subvenções. Pouco depois de ter sido colocado em prisão provisória, ele foi conduzido a um hospital de Paris para "exames complementares", de acordo com fontes na polícia.

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Faça o download da aplicação

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.