Acesso ao principal conteúdo
França/Imigração

Hollande homenageia imigrantes em inauguração de museu

François Hollande llamó a los parlamentarios a "asumir sus responsabilidades" para permitir a los extranjeros votar en las elecciones locales en Francia.iscurso.
François Hollande llamó a los parlamentarios a "asumir sus responsabilidades" para permitir a los extranjeros votar en las elecciones locales en Francia.iscurso. REUTERS/Yoan Valat

O presidente francês François Hollande inaugurou oficialmente nesta segunda-feira (15) o Museu da história da imigração. Durante o discurso de abertura, o chefe de Estado lembrou que um quarto da população francesa é fruto da imigração e criticou a instrumentalização desses grupos, usados para alimentar um sentimento de medo do islã no país.

Publicidade

Mesmo se o museu já funcionava há sete anos, a intervenção de Hollande durante a inauguração oficial do espaço, no leste de Paris, era muita esperada, pois essa foi a primeira vez que o chefe de Estado fez um discurso exclusivamente dedicado ao tema da imigração. “Eu quero lembrar aos franceses, de onde quer que eles venham, quais são os valores que eles carregam como cidadãos franceses e onde queremos ir juntos”, disse o presidente.

Hollande lembrou que um quarto dos franceses são fruto da imigração e que o país acolheu, na última década, cerca de 200 mil estrangeiros por ano, “a proporção mais fraca da Europa”. De acordo com as Nações Unidas, a França conta com 11% de imigrantes.

Hollande criticou a instrumentalização do islã

O presidente também criticou “o medo, conscientemente instalado, de uma religião, o islã, apresentado por alguns, de forma inaceitável, como algo incompatível com a República”. A extrema-direita, encabeçada pelo partido Frente Nacional (FN), que lidera as pesquisas de intenção de voto para as presidenciais de 2017, utiliza a imigração como principal tema de suas campanhas e os cidadãos muçulmanos – inclusive os nascidos na França – são os mais visados pelo discurso dos extremistas.

François Hollande também propôs que a naturalização automática seja concedida a todos os estrangeiros de mais de 65 anos de idade, que vivam na França há mais de 25 anos e que tenham filhos no país.

Reforma do direito de asilo na França

O discurso de François Hollande foi feito na véspera da adoção pela Assembleia Nacional de uma reforma no direito de asilo na França. O projeto, que visa reduzir os prazos do procedimento, foi duramente criticado pela oposição, de direita, durante sua discussão. 

Um segundo texto sobre a imigração também deve ser debatido no primeiro semestre de 2015. O primeiro-ministro francês Manuel Valls deve defender um projeto sobre a criação de um sistema de vistos plurianuais.

Reação de Marine Le Pen

Marine Le Pen, presidente da FN, reagiu ao discurso de François Hollande. “Os franceses desejam que a imigração seja colocada em um museu, como uma política do passado, e não uma sombra perspectiva de futuro. Como a imensa maioria dos franceses, a Frente Nacional pede o fim da imigração em massa em nosso país. Para isso temos que restaurar as fronteiras nacionais e sair do espaço Schengen (zona de livre circulação na Europa), que só amplifia os fluxos migratórios. Também temos que reformar o código de nacionalidade e abolir o direito do solo”, declarou líder da extrema-direita em um comunicado. 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Faça o download da aplicação

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.