Acesso ao principal conteúdo
Acidente/Germanwings

Imprensa teve acesso a vídeo com os últimos instantes do avião da Germanwings

Vídeo gravado pelo celular de um dos passageiros mostra os últimos instantes do voo 4U9525.
Vídeo gravado pelo celular de um dos passageiros mostra os últimos instantes do voo 4U9525. REUTERS/French Interior Ministry/DICOM/Y. Malenfer/Handout NO AR

O jornal alemão Bild e a revista francesa Paris-Match informam nesta quarta-feira (1) ter tido acesso a um vídeo feito por um telefone celular dentro do Airbus A320, minutos antes do avião se chocar contra os Alpes franceses. A Justiça francesa, responsável pelas investigações, não viu as imagens e pede que o vídeo seja entregue às autoridades. Os presidentes da Lufthansa e da Germanwings, visitaram o local da tragédia, no sul da França.

Publicidade

O jornal alemão Bild foi o primeiro a revelar na manhã de hoje ter tido acesso a um vídeo mostrando os últimos instantes do Airbus A320 da Germanwings, antes do avião se chocar contra uma montanha nos Alpes franceses. Segundo o jornal, as imagens são autênticas e foram gravadas por um telefone celular de um passageiro. Elas mostram momentos de pânico, o que sugere que os passageiros tinham consciência da queda do aparelho.

A revista francesa Paris-Match também informou hoje ter visto as imagens, mas garantiu que não tem o vídeo de seis minutos de duração. O jornalista da revista afirma que a filmagem foi feita por um passageiro que estava no fundo do avião e que ela não traz nenhum elemento novo à investigação. O jornal Le Figaro informa em seu site que vários celulares foram encontrados entre os destroços do avião, mas ainda não foram enviados para análise.

O procurador de Marselha, Brice Robin, responsável pelo caso, disse não ter tido até agora acesso a nenhuma imagem da tragédia e fez um apelo às pessoas que tiverem o vídeo do acidente para entregá-lo à Justiça.

Visita ao local da tragédia

Os presidentes da Lufthansa e da Germanwings, filial de baixo custo da companhia aérea alemã, visitaram na manhã de hoje o local do acidente. Carsten Spohr e Thomas Winkelmann desembarcaram em Seyne-les-Alpes de helicóptero e o primeiro compromisso foi visitar o monumento erguido para lembrar as150 vítimas da tragédia.

Eles também prestaram homenagens às equipes que participam do resgate dos restos mortais dos passageiros e da tripulação, além dos destroços do aparelho. O presidente da Lufthansa disse ter ficado impressionado pelo profissionalismo das equipes francesas e demonstrou todo o seu reconhecimento pelo trabalho.

Ontem, a Lufthansa revelou que o copiloto Andreas Lubitz informou em 2009 ter tido uma grave crise de depressão, antes de entrar para a aviação. Ele é suspeito de ter derrubado o avião, no dia 24 de março.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.