Acesso ao principal conteúdo
França/Irão

Visita Oficial de Hassan Rohani terminou em França

Hassan Rohani (esquerda ), presidente iraniano, e François Hollande (direita), presidente francês.
Hassan Rohani (esquerda ), presidente iraniano, e François Hollande (direita), presidente francês. STEPHANE DE SAKUTIN / AFP

Hassan Rohani terminou a sua visita a França. Esta foi a primeira visita de um presidente iraniano a França, de há 17 anos para cá, e o balanço é julgado muito positivo, tanto por Paris como por Teerão.

Publicidade

O levantamento das sanções contra Teerão marcou o regresso da diplomacia iraniana ao primeiro plano, mesmo se a questão dos Direitos Humanos ou da Síria continuam a ser dois pontos de discórdia.

O Presidente Hassan Rohani terminou a sua visita de três dias com um encontro de duas horas, com o seu homólogo francês, François Hollande, e no final, os dois chefes de Estado deram uma conferência de imprensa conjunta.

Para François Hollande, “abriu-se um novo capítulo das relações entre os dois países, com o estreitamento das relações, e vários contratos assinados entre os dois países". François Hollande, que deseja que estas relações possam ser úteis aos dois países.

Por seu turno, Hassan Rohani declarou que o fim das sanções internacionais contra o seu país permite recuperar o atraso do seu país, após muitos anos de desavenças o Ocidente, devido às ambições nucleares de Teerão.

E os primeiros resultados estão à vista. Durante a visita de Rohani a França, foram assinados acordos extremamente importantes:

Com a Airbus, a quem foram encomendados 118 aparelhos. Com a perolífera francesa TOTAL, para a compra de 200.000 barris de petróleo brutos por dia.

Com a construtora automóvel gaulesa PSA Peugeot Citroën, que voltará a estar presente no solo iraniano, através do grupo local Iran Khodro, que produzirá 200.000 veículos por ano.

E outras sociedades francesas como a SNCF, a Vinci, a ADP, ou a Bouyges assinaram igualmente importantes acordos com o Irão.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.