Acesso ao principal conteúdo
FRANÇA

França: funeral de padre assassinado reuniu milhares

Exéquias do padre Jacques Hamel, a 2 de Agosto de 2016 em Rouen.
Exéquias do padre Jacques Hamel, a 2 de Agosto de 2016 em Rouen. REUTERS/Jacky Naegelen

O funeral esta tarde do padre Jacques Hamel na Sé catedral de Rouen, na Normandia, norte de França, reuniu milhares de pessoas. O religioso fora degolado em plena missa há uma semana por dois jihadistas ligados ao autoproclamado Estado Islâmico.

Publicidade

As exéquias foram presididas pelo arcebispo de Rouen, Monsenhor Dominique Lebrun com a presença de representantes das confissões protestante, judaica e muçulmana, numa assembleia de 2 000 pessoas.

O funeral do padre Jacques Hamel contou também com a presença do ministro do interior, Bernard Cazeneuve e com Laurent Fabius, presidente do Tribunal constitucional, oriundo desta região do norte da França.

O caixão do padre de 85 anos assassinado na igreja de Saint Etienne du Rouvray há uma semana foi colocado directamente no chão durante a cerimónia.

Sobre a urna foram então colocados os símbolos do martírio, uma estola vermelha, como o sangue de Cristo derramado na cruz, em cima de uma alva branca. A sobrinha do religioso testemunhou na altura.

Jessica Deleporte contou ter publicado depois do atentado visando o semanário Charlie Hebdo em Janeiro de 2015 a frase "Meu Deus, oxalá possamos manter a tolerância e o discernimento".

"Não pensava ter que aplicar a mim própria com tanta força e convicção esta frase". Muito emocionada a sobrinha do clérigo alegou "Mas vou fazê-lo e hei-de conseguir, por ti, pelo que eras, pelo que és."

A cerimónia foi transmitida num grande ecrã no exterior da catedral.

Na homilia o arcebispo dirigiu-se aos candidatos ao jihad "Vocês que são tentados pela violência diabólica rezem a Deus para que vos liberte da acção do demónio. Rezamos por vocês, rezamos a Jesus que curava quem estava sob o efeito do mal".

"Estamos feridos, horrorizados, mas não aniquilados", acrescentou o arcebispo.

As condições de segurança tinham sido reforçadas em torno da catedral com pelo menos 20 camiões das forças da ordem, todas as pessoas foram revistadas à entrada.

O padre Hamel, oriundo do norte de França, não será enterrado nem em Rouen, nem em Saint Etienne du Rouvray, onde fora assassinado, mas num local mantido em segredo pela família e na mais restrita intimidade.

A igreja que foi palco do assassínio manter-se-á fechada por várias semanas, de acordo com a diocese, até um "rito penitencial de reparação" que permita a respectiva reabertura e a retoma do culto após a profanação.

As exéquias decorreram dois dias após centenas de muçulmanos terem ido à missa dominical junto dos católicos em sinal de solidariedade. O papa Francisco ao referir-se no domingo a este atentado recusou fazer qualquer associação entre o Islão e a violência.

Os dois autores do atentado, dois jovens franceses de 19 anos que prestaram vassalagem ao autoproclamado Estado Islâmico, viviam a 700 kms de distância. 

Adel Kermiche, residia em Saint Etienne du Rouvray, norte da França, onde foi consumado o assassínio do padre Jacques Hamel, enquanto Abdel Malik Petitjean residia em Aix les Bains, na Sabóia, centro leste.

Eles ter-se-iam conhecido apenas uns dias antes de protagonizarem o atentado através de um sistema de mensagens codificadas na internet. 

Acabariam por ser abatidos pela polícia ao sairem da igreja, após terem degolado o padre e ferido com gravidade um leigo que assistia à missa.

Os representantes da comunidade muçulmana de Saint Etienne du Rouvray onde residia Kermiche anunciaram a sua recusa em organizar o seu enterro.

O lusodescedente e residente e Saint-Etienne du Rouvray, José Gonçalves era próximo do sacerdote e lembra palavras do Padre Jacques Hamel que sempre falava nas crianças, no futuro, em termos muito humanos.

O lusodescendente François Pereira, foi à catequese com o padre Hamel que conhecia bem, e refere-se ao aglomerado de pessoas presentes no enterro do padre Jacques Hamel e descrevendo as homenagens que continuam a ser feitas ao sacerdote em Saint Etienne du Rouvray.

selfpromo.newsletter.titleselfpromo.newsletter.text

selfpromo.app.text

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.