Acesso ao principal conteúdo
Portugal, Espanha, França

Incêndios em Portugal, Espanha e França

Bombeiros em Pennes-Mirabeau, no norte de Marselha, em França.
Bombeiros em Pennes-Mirabeau, no norte de Marselha, em França. BORIS HORVAT / AFP

Os incêndios continuam a marcar a actualidade em Portugal, Espanha e França, apesar de uma ligeira acalmia. Em Portugal, a meio da tarde estavam a ser combatidos sete grandes fogos florestais, no continente, por mais de 1.500 operacionais, e um na Madeira a mobilizar mais de 100 bombeiros.

Publicidade

Em Portugal continental, de acordo com a Autoridade Nacional de Protecção Civil, a meio da tarde havia sete “ocorrências importantes” nos concelhos de Águeda, Arouca, Anadia, Caminha, Sever do Vouga, Mondim de Basto e Marco de Canaveses. No total, estavam mobilizados 1500 bombeiros.

Na Madeira, os incêndios acalmaram com o baixar da temperatura, existindo um foco activo mas controlado na Calheta.

Portugal activou o Mecanismo Europeu de Protecção Civil na quarta-feira e teve, até agora, a ajuda de um Canadair italiano, dois espanhóis e dois aparelhos provenientes de Marrocos. O governo anunciou que, este sábado, vai contar com a ajuda de dois meios aéreos da Rússia no âmbito de um acordo bilateral.

Em França, os bombeiros tentavam hoje evitar os reacendimentos, depois dos incêndios terem destruído mais de 3.000 hectares de mata a norte e oeste da cidade de Marselha e ameaçado zonas residenciais. Nos arredores de Perpignan, também no sul de França, as frentes de incêndio estavam dominadas, com cerca de 600 bombeiros ainda no local, auxiliados por meios aéreos.

Em Espanha, em cinco dias houve 15 incêndios que destruíram 5.700 hectares na região da Galiza, sendo a maior parte de origem suspeita, de acordo com a agência France Presse. Esta manhã, três deles ameaçavam casas.

No arquipélago espanhol das Canárias, na ilha de La Palma, continuava por controlar o incêndio que destruiu 4.800 hectares de vegetação desde 3 de Agosto.
 

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.