Acesso ao principal conteúdo
FRANÇA

França: Ex corrector de banco de novo condenado

Jérôme Kerviel no Tribunal de Versalhes, França, 23 de Setembro de 2016.
Jérôme Kerviel no Tribunal de Versalhes, França, 23 de Setembro de 2016. REUTERS/Charles Platiau

Jérôme Kerviel, corrector de bolsa do Société Générale, foi condenado a pagar um milhão de euros por prejuízos e juros ao banco francês que o empregara.

Publicidade

Trata-se de um julgamento de recurso já que em primeira instância ele fora condenado a pagar 4,9 mil milhões de euros.

O tribunal de Versalhes declarou Jérôme Kerviel parcialmente responsável pelos prejuízos sofridos pelo seu antigo patrão devido aos investimentos arriscados que ele fizera e que teriam custado caro à empresa.

O ex corrector de bolsa de 39 anos tinha sido condenado penalmente a 5 anos de cadeia, sendo dois com pena suspensa, por manobras bolsistas fraudulentas que tinham provocado em 2008 4,9 mil milhões de prejuízos para o banco.

Jérôme Kerviel saudou esta decisão alegando que "a justiça avança", tendo afirmado estimar nada dever ao seu antigo empregador.

Satisfação também foi a tónica dominante do lado do Société Générale.

Kerviel é visto por uns como um vigarista, por outros como um bode expiatório, ele sempre afirmou que o banco para o qual trabalhava conhecia as suas apostas arriscadas nos mercados bolsistas, mas o Société Générale sempre afirmou que ele era o único responsável.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.