Acesso ao principal conteúdo
Política/França

Nicolas Sarkozy face ao livro-requisitório de Patrick Buisson

Nicolas Sarkozy . 19 de Setembro de 2016.
Nicolas Sarkozy . 19 de Setembro de 2016. REUTERS/Philippe Wojazer

No seu livro "La Cause du Peuple", Patrick Buisson, antigo conselheiro do ex-Presidente, Nicolas Sarkozy, dá livre curso a um ajuste de contas sobre a face obscura do mandato do ex-Chefe de Estado francês.Segundo os analistas franceses, o que convem chamar-mos de acusações, são divulgadas num mau momento para Nicolas Sarkozy que se candidatou novamente à eleição presidencial, prevista para 2017.

Publicidade

 Com efeito "La Cause du Peuple" de Patrick Buisson , ideólogo da extrema-direita e eminência parda durante a presidência de Sarkozy, entre 2007 e 2012, é segundo os analistas um requisitório contra o actual candidato às primárias da direita francesa. No livro que acaba de ser publicado , Buisson, na época conselheiro e confidente , acusa nomeadamente Nicolas Sarkozy de não estar preparado para a função presidencial e de em 2006 , então como ministro do interior, não ter mandado intervir face aos vândalos que infiltraram no bairro Les Invalides em Paris uma das manifestações contra o polémico CEP, primeiro contrato de trabalho destinado aos jovens proposto pelo governo de Dominique de Villepin.

Em declarações ao canal de televisão público, France 2, Patrick Buisson reiterou as citadas acusações, afirmando que em 2006 Nicolas Sarkozy decidiu posicionar-se como o homem forte do governo face à de Villepin. François Bayrou , presidente do MoDem(partido do centro-direita) pediu que seja diligentado uma investigação sobre as revelações feitas pelo livro de Patrick Buisson .

Bayrou que apoia Alain Juppé, adversário de Sarkozy nas primárias da direita francesa considerou que o antigo Presidente pôs as suas ambições pessoais acima dos seus deveres e interesses do Estado. Nicolas Sarkozy reagiu na quarta-feira, durante um comício em Chantilly, no norte da região parisiense ,afirmando que nada o desviará da sua intenção de reconquistar a presidência da República. O ex-Chefe de Estado francês qualificou de "calúnias " , as acusações feitas por Patrick Buisson no seu livro. O eurodeputado , Brice Hortefeux, velho amigo de Nicolas Sarkozy, afirmou que Buisson, traiu o então presidente da República ao gravar as suas confissões sem que ele o soubesse.

 

                

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Faça o download da aplicação

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.