Acesso ao principal conteúdo
França

França abate milhares de patos e gansos

Governo ordenou o abate de milhares de patos e gansos
Governo ordenou o abate de milhares de patos e gansos REUTERS/Regis Duvignau

O Governo francês ordenou o abate de milhares de patos e gansos em três regiões do país. O objectivo é conter o surto de gripe das aves. O anúncio é do Ministério da Agricultura.

Publicidade

Os animais serão abatidos a partir de hoje e até 20 de Janeiro em várias explorações do sudoeste francês. As três regiões mais afectadas são Gers, Landes e Altos Pirenéus.

O abate das aves em 150 municípios sudoeste está a ser visto pelos produtores como "uma catástrofe", acrescentando que se trata de um “duro golpe” para o sector, que será obrigado a dispensar trabalhadores.

No entanto, algumas explorações, tanto as produtoras como as transformadoras, estão excluídas desta medida drástica para conter a doença que se espalhou rapidamente no último mês.

Os casos de gripe aviária não param de aumentar. No último mês foram confirmados 95 em aviários e cinco casos na floresta.

O vírus H5N8 propaga-se de forma fulgurante desde o final de Novembro em França e está classificado como “altamente contagioso”. Segundo Jean-Luc Guérin, professor na Escola Nacional de Medicina Veterinária de Toulouse e investigados no Instituto Nacional de Pesquisa Agrónoma (INRA), este é “claramente mais mortífero” que a estirpe H5N1 em finais de 2015.

Mais de 300 mil patos foram já abatidos nas zonas infectadas, mas face à amplitude da crise, o ministério francês da Agricultura decretou novo abate na esperança de estancar a epidemia.

Esta é a primeira vez que o executivo ordena um abate massivo preventivo.

Os maiores produtores de foie gras estão concentrados no sudoeste francês. Já no ano passado esta região foi palco de um grave surto de gripe das aves.

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Faça o download da aplicação

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.