Acesso ao principal conteúdo
Imprensa Semanal

Nova ordem mundial, Putin, Trump e Xi Jinping

Áudio 04:00
Capas de magazines news franceses de 14 de janeiro de 2017
Capas de magazines news franceses de 14 de janeiro de 2017 RFI

De Moçambique e o poder da Frelimo, passando pela nova ordem mundial de Putin, Trump ou Jinping até à França, ideias da esquerda para as presidenciais ou a espionagem, são alguns dos temas da Imprensa semanal.Abrimos com LE POINT, que faz a sua capa com a nova ordem mundial, Putin, Trump, Xi Jinping... e a Europa: como as regras mudam. A Rússia de Putin vem em força. A América de Trump é o salto no escuro. A China de Xi Jinping,a potência em crescendo.E durante este tempo a  Europa deteriora-se. Desde a queda do Muro de Berlim, nunca as regras geopolíticas tinham mudado desta maneira.Putin é a superestrela, o homem mais poderoso do mundo, segundo a revista Forbes e que afirma: o que me interesssa não são as fronteiras, mas o destino dos povos, criando pânico entre os europeus ocidentais enquanto há uma grande preocupação nos países bálticos com a instalação de mísseis Iskander equipados com ogivas nucleares no enclave russo de Kalinigrado.Mas o país que sairá a ganhar nesta nova ordem mundial é a China, afirma o antigo chefe da diplomacia alemã, Joschka Fischer, nota LE POINT. A China em retracção económica, entende defender os seus interesses comerciais e estratégicos e continua a sua expansão através do mar da China alargando as suas águas territoriais.O mar da China será o próximo palco de um conflito mundial?Durante a campanha eleitoral nos Estados Unidos, Donald Trump, presidente eleito, não poupou críticas à China e tem a intenção de cumprir as suas promessas em relação à China, que segundo ele, faz uma concorrência desleal aos Estados Unidos subvencionando as suas exportações.Para tal, Trump, nomeou um conhecedor da China, Robert  Lighthizer para a esfera do comércio, um dos seus chamados 7 diplomatas entre o general Mattis, na Defesa, Rex Tillerson, na diplomacia, David Friedman, embaixador no Israel, que não quer saber de estado palestiniano, Mike Pompeo, na CIA, Nikki Haley, embaixadora na ONU e enfim Michael Flynn, conselheiro da segurança naciional.Eles não partilham os mesmos pontos de vista sobre a política externa americana. Muita animação em perspectiva, sublinha LE POINT.Mudando de assunto, L'EXPRESS, faz a sua capa com os nossos espiões, para sublinhar que os serviços de informações em França estão no coração da batalha contra o estado islâmico? Fortemente abalados pelos atentados de 2015, vividos com um fracasso, estes espiões franceses esforçaram-se por melhorar a sua eficácia.Isto quando sai nas livrarias o livro Onde estao os nossos espiões denunciando os erros dos serviços de informações, que ficaram cegos por Alá, nota L'EXPRESS.Por seu lado L'OBS, faz a sua capa com 25 ideias para acordar a esquerda, entre elas o rendimento universal que poderia ser uma solução para crise político-social em França. Mas, o seu editorial, vai para aquele que chama Nosso amigo Mário Soares, cujo desaparecimento deixou o semanário de luto, sublinhando a herança e o exempo de um dos maiores democratas europeus.Enfim, AFRICA CONFIDENCIAL, que sobre Moçambique escreve que a Frelimo afunda-se na crise. O partido continua a ser dirigido por aqueles que endividaram o país e não há no horizonte nenhuma mudança. Filipe Nyusi é um presidente fraco, que não controla nem o país e nem a Frelimo, partido no poder. A instabilidade política vai piorar devido ao conflito com os opositores da Renamo, não há perspectivas sobre as negociações de paz e a violência deve continuar em várias províncias, sublinha AFRICA CONFIDENCIAL.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.