Acesso ao principal conteúdo
Revista de Imprensa

Vozes de esquerda pedem novo contrato social em França

Áudio 03:30
Primeiras páginas dos jornais franceses de 22 de fevereiro de 2017
Primeiras páginas dos jornais franceses de 22 de fevereiro de 2017 RFI

A actualidade nacional domina as primeiras páginas da imprensa francesa, como temas que vão desde as próximas eleições presidenciais até à violência policial na periferia de grandes cidades como Paris, Marselha ou Lyon.Taubira: a derrota não é ineluctável, titula o vespertino LE MONDE. A ex-candidata presidencial em 2002 denuncia num novo livro a renúncia da esquerda à sua identidade nos últimos 30 anos e fala de deliquescência da política que vive um momento paroxístico.Já ninguém fala de contrato social, lamenta Christiane Taubira, acrescentando que houve fracasso do nosso lado nas cidades suburbanas. Taubira, sublinha que vai fazer campanha por Benoît Hamon que defende a mensagem da esquerda e ideias que destabilizam, acrescenta LE MONDE.Saúde presidencial, choque de projectos, é do jornal L'HUMANITÉ, referência ao debate de ontem na Mutualidade francesa para os candidatos às presidências exporem os seus programas às presidenciais.LIBÉRATION, por seu lado, titula três dias antes do caso Théo, um polícia ia-me sufocando e pensei que fosse morrer.  Djamel Dib, um homem de 34 anos ele também agredido pela polícia em Aulnay-sous-bois, a  mesma cidade dos subúrbios de Paris, onde ocorreu o caso de violência policial contra o jovem Théo.Jiadistas: a política de desradicalização é um fracasso, titula LE FIGARO. Um relatório de senadores sobre o endoutrinamento de indivíduos recrutados por islamitas constata o fracasso das políticas públicas dos últimos três anos. Não houve sucesso na reinserção dos jiadistas em França e na Europa.Um fracasso devido a escolhas e implementação dos programas mas também porque passada uma certa etapa na radicalização islamita, voltar atrás é impossível, nota LE FIGARO.Em relaçao à actualidade internacional, LE FIGARO, destaca a Irlanda que teme consequências do Brexit, dando o exemplo de alfandegários manifestando no limite fronteiriço com a Irlanda do norte. De um lado e doutro receia-se o restabelecimento duma fronteira física, um dos efeitos do Brexit.LA CROIX, titula a Cibernética ameaça as democracias; há vários meses que os serviços de espionagem alertam para uma guerra de informação que estaria a ser levada a cabo pela Rússia contra democracias ocidentais como a França, a Alemanha e os Estados Unidos, nota LA CROIX.Sobre a África, LE MONDE destaca a guerra da Argélia, por um armistício memorial e Somália, os desafios do recém presidente eleito nomeadamente a corrupção, o que é missão impossível.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.