Acesso ao principal conteúdo
França

Edifício português em França elogiado por François Hollande

Presidente francês, Francois Hollande, e Rainha Sonja da Noruega, na inauguração do Centro de Criação Contemporânea Olivier Debré, uma obra dos arquitectos Aires Mateus.
Presidente francês, Francois Hollande, e Rainha Sonja da Noruega, na inauguração do Centro de Criação Contemporânea Olivier Debré, uma obra dos arquitectos Aires Mateus. Eddy LEMAISTRE / POOL / AFP

Abriu hoje ao público o Centro de Criação Contemporânea Olivier Debré, na cidade francesa de Tours, uma obra do ateliê português Aires Mateus. Esta sexta-feira, o edifício foi inaugurado pelo presidente francês, François Hollande e pela rainha Sonjia da Noruega, que elogiaram o trabalho dos arquitectos Francisco e Manuel Aires Mateus.

Publicidade

O projecto dos irmãos Aires Mateus partiu de um edifício existente e criou um novo edifício em que um cubo de pedra assenta num cubo de vidro. O desenho teve em conta a relação do espaço com a cidade de Tours e com os seus habitantes, a dimensão espacial, a luz e a materialidade, explicou à RFI Francisco Aires Mateus.

O edifício foi inaugurado, esta sexta-feira, pelo presidente francês, François Hollande e pela rainha Sonjia da Noruega, que elogiaram a obra dos arquitectos portugueses.

“O edifício parte de uma relação muito directa com o antigo corpo do edifício de Belas-Artes dos anos 50 que já existia e que nós preservámos. Há um segundo corpo que depois se relaciona com ele, um bocadinho por contraposição. É um corpo todo em pedra, muito pesado, mas que quase por absurdo flutua sobre o envidraçado. Na relação entre estes dois corpos, o existente e o novo, abrem-se dois eixos, um que aponta para a rua principal e outro para uma rua lateral. Portanto, o átrio do edifício é quase um prolongamento destas duas ruas”, descreveu Francisco Aires Mateus.

Oiça aqui as declarações de Francisco Aires Mateus.

O arquitecto acrescentou que o atelier tentou maximizar a dimensão espacial de três momentos: uma nave muito alta no espaço onde havia o edifício antigo; uma sala preta para actividades artísticas mais experimentais e uma grande sala com um grande volume que se destina a obras de maiores dimensão, como as do artista francês Olivier Debré (1920-1999).

Os arquitectos têm em curso, em França, um projecto residencial no 17.° bairro de Paris, um projecto residencial e de escritórios no bairro Confluences, em Lyon, e um projecto misto de habitação e escritórios em Bordéus, onde o atelier também ganhou o concurso para uma mesquita.
 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Faça o download da aplicação

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.