Acesso ao principal conteúdo
Revista de Imprensa

Governo francês quer aligeirar contratos de trabalho

Áudio 03:28
Primeiras páginas dos diários franceses 26/7/2017
Primeiras páginas dos diários franceses 26/7/2017 RFI

As primeiras páginas dos jornais franceses estão dominadas por assuntos de política social, mas mesmo assim há ainda espaço para o folhetim Trump e investigação de pessoas das suas relações sobre a interferência da Rússia na campanha das presidenciais do ano passado.O governo pondera desregular os contratos de trabalho a prazo. O governo quer modificar as regras aplicáveis aos contratos de curta duração, no quadro da reforma do direito do trabalho.Uma reforma que marcará uma ruptura jurídica, confiando a sectores de actividade e não à lei a definição das regras aplicáveis aos contratos a prazo.A maioria das organizações patronais saúdam a possibilidade de fixar, por sector, os motivos e as condições de renovação dos contratos de duração determinada, nota LE MONDE.Por seu lado, L'HUMANITÉ, titula sobre os imigrantes de Calé, norte da França, que são atacados com gás pimenta. Um relatório choque do Human Rights Watch, denunciando assédio de polícias e práticas ignóbeis do estado.LA CROIX, faz o seu principal título com homenagem ao padre Jacques Hamel, assassinado a 26 de julho de 2016.Uma homenagem que reuniu o Presidente da República e parlamentares de todos os horizontes políticos, religiosos cristãos, muçulmanos e judeus, sublinha LA CROIX no seu editorial, intitulado, Reconhecimento.LIBÉRATION, dá relevo à França e uma pergunta: demasiados turistas? Após um ano 2016 em baixa, 2017 renova com o sucesso e a França visa 100 milhões de turistas em 2020.Mudando de assunto na actualidade internacional, LE FIGARO, titula, investigação sobre o caso russo: o clã Trump, sitiado.O Congresso americano começou a interrogar o primeiro círuclo do presidente, Trump, a fim de esclarecer putativos laços com Moscovo. Doravante, é o primeiro círculo do presidente Trump que se encontra na berlinda no escândalo russo.O Congresso americano começou a ouvir Jared Kusnher, genro do chefe de estado e seu conselheiro sobre as suas relações com a Rússia antes e depois das eleições presidenciais de 2016.E quer também  convocar o próprio filho do presidente, Donald  Trump Junior, assim como o antigo director de de campanha do chefe de estado,  o milionário Paul Manafort, sublinha LE FIGARO.Enfim sobre a África, LE MONDE dá relevo à Líbia e o frágil acordo entre os dois poderes.Sob os auspícios da França, o primeiro ministro líbio, Sarraj e o marechal Haftar, chegaram a acordo sobre um processo de reconciliação incluindo um cessar-fogo e a organização de eleições legislativas, sublinha LE MONDE.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.