Acesso ao principal conteúdo
França

França: Actriz Jeanne Moreau desaparece aos 89 anos

Jeanne Moreau, uma das atrizes mais emblemáticas do cinema francês
Jeanne Moreau, uma das atrizes mais emblemáticas do cinema francês REUTERS/Fabrizio Bensch/File Photo

Um dos maiores ícones do cinema francês, a actriz, Jeanne Moreau, morre, em Paris, aos 89 anos. A notícia foi confirmada pelo seu agente .    

Publicidade

Figura da canção e do cinema, Jeanne Moreau foi encontrada morta, esta segunda-feira de manhã, pela sua empregada doméstica, em sua casa na capital francesa.

Jeanne Moreau era considerada um ícone do cinema francês. Participou em mais de 130 filmes, sendo conhecida pela beleza sensual da sua voz grave, que fascinou os maiores realizadores do mundo, durante a sua carreira de 65 anos.

A actriz filmou com Welles, Malle, Truffaut ou Antonioni. O seu penúltimo trabalho no cinema, a Candidinha de "O Gebo e a Sombra" (2012), foi feito com Manoel de Oliveira.

"Os Amantes" (1958) e o "Fim-de-Semana no Ascensor" (1958), ambos de Malle, acrescentaram-lhe a dupla dimensão de intérprete de musical. Por exemplo, Moreau emprestou a sua voz à banda sonora de "Fim-de-Semana no Ascensor", composta e interpretada por Miles Davis.

Famosa é também a sua interpretação, acompanhada à viola, de Le Tourbillon em "Jules e Jim", que é um dos momentos inesquecíveis do filme de Truffaut. 

Jeanne Moreau recebeu, em 1992, o César de melhor actriz, no filme "La Vieille qui marchait dans le mer", realizado por Laurent Heynemann. Obteve ainda o prémio de interpretação feminina, em 1960, em Cannes, no filme "Moderato Cantabile" de Peter Brook.

Moreau nasceu a 23 de janeiro de 1928, em Paris. Era filha dum restaurador e duma dançarina inglesa.

Ficou conhecida por ser uma mulher eclética e livre que enveredou pelo teatro à revelia da família, enfrentando a oposição do seu pai.

O presidente da República francesa prestou já a sua homengem a Jeanne Moreau:

Em comunicado divulgado pelo Eliseu, Emmanuel Macron considera que Moreau é uma "artista que incarnava o cinema na sua complexidade, memória e exigência".

 

 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.