Acesso ao principal conteúdo
Vida em França

Jeanne Moreau deixa um turbilhão de memórias

Áudio 08:51
Jeanne Moreau em "Ascenseur pour l'échafaud" de Louis Malle. 1958
Jeanne Moreau em "Ascenseur pour l'échafaud" de Louis Malle. 1958 Nouvelles Editions de films / Collection Christophel / AFP

A actriz francesa Jeanne Moreau deixou-nos na segunda-feira, 31 de Julho, aos 89 anos, na rua do Faubourg Saint-Honoré em Paris.Jeanne Moreau deixa-nos o trabalho de mais de 60 anos de carreira. Trabalhou sempre com regularidade, filmou em vários registos. Fascinou os maiores realizadores da segunda metade do século XX e acompanhou a evolução do cinema e o papel da mulher: "La Notte" de Antonioni, "Querelle de Breste" o último filme de Fassbinder ou ainda "Jeane Dilman" de Chantal Akarman. "Jules et Jim" de Truffaut, "Le Journal d'une femme de chambre" de Buñuel.Mas ainda Brook, Demy, Diegues, Duras, Godard, Ofuèds, Ozon, Renoir, Vadim, Wenders, Manoel de Oliveira que lhe entregou o penúltimo papel em “O Gebo e a Sombra”, ao lado da actriz portuguesa Leonor Silveira que recorda a honra de ter trabalhado com este ícone do cinema mundial.O actor português Ricardo Trepa também contracenou com Jeanne Moreau em "O Gebo e a Sombra" diz ter aprendido muito com Jeanne Moreau sobretudo sobre a vida e as mulheres.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.