Acesso ao principal conteúdo
Revista de Imprensa

Ainda é só começo das dificuldades de Macron

Áudio 03:34
Primeiras páginas dos jornais franceses de 28 de agosto de 2017
Primeiras páginas dos jornais franceses de 28 de agosto de 2017 RFI

As primeiras páginas dos jornais franceses estão dominadas pelas dificuldades do Presidente Macron. No internacional, destaques para a tempestade de Texas, nos Estados Unidos ou a eleição de João Lourenço, em Angola.Macron: os dossiês políticos pós-ferias sob tensão. O governo reuniu-se hoje no Eliseu para preparar a nova temporada política num contexto político tenso. A meio de negociações sobre a lei laboral, conhecidas as várias medidas governamentais vieram atiçar o descontentamento.Redução dos défices, reformas dos subsídios de desemprego e das pensões, ano lectivo universitário sob fundo de penúria, as dificuldades multiplcam-se, sublinha LE MONDE.Rentrée de alto risco para Emmanuel Macron, titula, LE FIGARO. Criticado pela direita, criticado pela esquerda, Macron, está em queda livre nas sondagens. O presidente vai ter de enfrentar crescentes oposições contra as suas reformas. E, mesmo assim, ele não conta abrandar o ritmo, sublinha LE FIGARO.Macron, Presidente dos ricos?, pergunta em título, LIBÉRATION. Menos impostos, mais poder de compra, promete o governo. Na verdade, o programa fiscal e social do mandato deverá beneficiar primeiro os franceses mais ricos.Mas, a batalha social está anunciada para setembro e a citação das oposições às  reformas, escolhida por LIBÉRATION, "Macron tem de aprender a respeitar os outros", traduz bem o clima de tensão em França.Face ao liberalismo de Macron, crescem as oposições, replica L'HUMANITÉ. Os franceses estão descontentes com a acção de Macron. Os comunistas estão prontos a disparar em todas as frentes e França insubmissa de Mélenchon, em campanha permanente, afirma estar pronta para governar a qualquer momento, nota L'HUMANITÉ.LA CROIX é o único jornal que não faz a sua primeira página com Macron, preferindo titular imigrantes nos braços dos Alpes. Numa reportagem nos Altos Alpes, LA CROIX, decreta, Briançon, como terra solidária com os imigrantes.Em relação à África, LE MONDE, destaca, Angola: Lourenço, um presidente na sombra de dos Santos. O ex-ministro da defesa terá um controlo limitado no aparelho do Estado. José Eduardo dos Santos, teve de aceitar deixar a presidência e como não pôde impor o seu filho ou o seu primo, este que faz de vice-presidente, ele teve de virar-se para João Lourenço, que tinha nomeado havia 3 anos, ministro da defesa.Durante a campanha, este aparatchik do MPLA, que é o general na reserva, João Lourenço, não se abriu e não procurou apresentar um projecto ou uma visão. Rígido, austero e sem carisma, este homem secreto, teve dificuldades em convencer que é portador da renovação na continuidade.Face à multidão, João Lourenço, desajeitado, incapaz de comunicar com o povo, sempre foi repisando nos seus discursos referências marxistas-leninistas. João Lourenço, que fez a guerra de libertação, após a independência, foi estudar História e Estratégia militar, na União soviética, nota LE MONDE.No internacional mais global, o mesmo vespertino, escreve sobre Houston submergido pela tempestade Harvey. A quarta cidade dos Estados Unidos e uma parte de Texas são vítimas de inundações históricas. Donald Trump, decretou situação de catástrofe natural, sublinha LE MONDE.Enfim, para LIBÉRATION, o tufão Harvey, tem o Texas a afundar-se, uma tempestade que devastou a costa e matou pelo menos 5 pessoas no útimo fim-de-semana.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.