Acesso ao principal conteúdo
FRANÇA

França: denunciada vulnerabilidade de centrais nucleares

Central nuclear francesa de Belleville-sur-Loire.
Central nuclear francesa de Belleville-sur-Loire. REUTERS/Regis Duvignau

A ong Greenpeace denuncia num relatório a vulnerabilidade das 58 centrais nucleares francesas em caso de ameaça terrorista. A empresa Electricidade de França que gere os referidos recintos desmistifica o caso.  

Publicidade

Na França 80% da energia eléctrica é de origem nuclear.

Este país europeu continua a debater-se com um nível muito elevado de ameaça terrorista.

Neste contexto a organização não governamental (ong) Greenpeace divulgou nesta terça, 10 de Outubro de 2017, um relatório sobre a segurança dos reactores nucleares.

Sabendo que os agentes ligados ao terrorismo tentam aproveitar todas e quaisquer falhas do sistema de segurança das instalações o caso torna-se particularmente sensível.

Ao ponto que este relatório é tido como alarmante.

Yves Marignac é um dos peritos que elaborou o relatório por conta da Greenpeace. Ao microfone de Agnès Rougier ele explicou porquê que as centrais nucleares francesas são vulneráveis com o pior a poder mesmo acontecer, em caso de actos mal intencionados.

"Na concepção das centrais nucleares deu-se uma maior atenção aos próprios reactores.

E isto por causa do risco de fusão do respectivo coração...

Os depósitos, esses, são infelizmente vítimas de um défice de robustez.

No que diz respeito a actos mal intencionados tal torna-se uma vulnerabilidade acrescida.

O cenário temido em termos de acidente num depósito de armazenamento de combustível prende-se com a perda de água do depósito.

Nalgumas circunstâncias tal acompanha-se de um incêndio do combustível e de uma libertação importante desta radioactividade.

Este fenómeno será ainda mais importante na medida em que os depósitos não dispõem de um verdadeiro recinto fechado.

O que demonstra o relatório é que cenários de actos mal intencionados credíveis e realistas, em relação aos meios de que dispõem actualmente certas organizações,  poderiam provocar este tipo de estragos e criar esta engrenagem que poderá conduzir a uma catástrofe."

Confira aqui as declarações de Yves Marignac traduzidas por Miguel Martins.

A empresa Electricidade de França (EDF) que gere os referidos recintos desmistifica o caso.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.