Acesso ao principal conteúdo
Revista de Imprensa

6 meses controversos de governação do Presidente Macron

Áudio 04:28
Primeiras páginas dos jornais franceses de 14 de novembro de 2017
Primeiras páginas dos jornais franceses de 14 de novembro de 2017 RFI

As primeiras páginas dos jornais franceses estão dominadas pelos primeiros seis meses de governação do presidente Macron e a nível internacional por um exército europeu em formação. LIBÉRATION, titula, reformas Macron, 65% dos franceses sentem-se perdidos. São dois terços de franceses que têm o sentimento de não ganhar grande coisa, com a presidência Macron, segundo uma sondagem, VIAVOICE. Uma tendência que o presidente quer combater visitando bairros populares, nota LIBÉRAITON.Seis meses de Macron, guinada à direita sem complexos, replica, em título, L’HUMANITÉ. Visitando bairros populares, Macron, quer desmentir que é o presidente dos ricos.Seis meses depois, o presidente da república continua a privilegiar uma opção económica que se resume numa frase: recuperar o tempo perdido e levar a cabo reformas impopulares que os seus predecessores não conseguiram impor, nota L’HUMANITÉ.Subúrbios: a mensagem de Macron, escreve, por seu lado, LE MONDE, destacando a sua visita a Clichy Sous-Bois, Roubaix e Tourcoing, onde é fotografado entre jovens franceses de origem africana, tentando escapar-se ao epíteto de presidente dos ricos, nota LE MONDE.Mas o principal título deste vespertino, vai para diabete: investigação sobre um mercado muito lucrativo. Vendas de anti-diabéticos pesam dezenas de milhares de euros no mundo e tornaram-se no novo maná dos laboratórios.A indústria farmacêutica compete duramente num mercado em plena expansão. A doença continua a aumentar devido a um excesso de consumo de açúcar. Em França, 3.3 milhões de pessoas seguem tratamento de insulina e o custo da diabete eleva-se a 8 mil milhões de euros para o seguro de doença, sublinha LE MONDE.LA CROIX, por seu lado, titula sobre uma reforma dos exames do 12° ano dos liceus, no horizonte 2021, aligeirando as disciplinas à prova final para fazer economias. [Em França, contrariamente, a muitos outros países, mesmo os alunos brilhantes de quadro de honra fazem o exame final do 12° ano]. Em relação à actualidade internacional, LE FIGARO, titula a Europa da defesa quer emancipar-se dos Estados Unidos. 23 países europeus comprometeram-se, segunda-feira, a lançar uma cooperação militar inédita para desenvolverem armamentos ou lançamento de operações externas.Se ainda não se trata da criação de um exército europeu ou de suplantar a segurança colectiva da NATO, é um primeiro passo em direcção duma defesa europeia emancipada com projectos de equipamentos comuns e mais tarde instalação de tropas conjuntas, o que se inscreve no reforço duma autonomia estratégica da Europa, para deixar de depender dos Estados Unidos, quando o presidente, Donald Trump, declara estar  farto de pagar para garantir a segurança do velho continente, nota LE FIGARO.Em relação à África, LE MONDE, destaca, António Guterres à cabeceira de um mundo imprevisível, repescando a visita de outubro, do novo secretário-geral da ONU, à República centro-africana.Enfim, é o mesmo LE MONDE, que divulga uma nota confidencial sobre uma reforma na comunicação social francesa, que implica medidas de reestruturação e redução de despesas publicas, juntando num mesmo grupo a Televisão Pública, a Rádio Pública e outras entidades, com sinergias entre a informação nacional e internacional, o que implica o nosso grupo, FMM, França Médias Mundo, de que faz parte a RFI, tanto mais que a nossa Presidente figura na foto dos patrões de comunicação social, que ilustra o artigo. 

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.