Acesso ao principal conteúdo
França

Laurent Wauquiez chefe da oposição quer menos estrangeiros em França

Laurent Wauquiez, presidente do maior partido da oposição em França, Os Republicanos na televisão France 2.
Laurent Wauquiez, presidente do maior partido da oposição em França, Os Republicanos na televisão France 2. CHRISTOPHE ARCHAMBAULT / AFP

Na sua primeira grande entrevista política na televisão, o líder da oposição em França, Laurent Wauquiez, defendeu um endurecimento da política de imigração, assente em quotas de estudantes estrangeiros e limitação de imigrantes em sectores específicos para além de uma reflexão sobre o direito de solo em França.

Publicidade

Laurent Wauquiez, presidente dos Republicanos, principal partido da oposição, participou esta quinta-feira à noite, (25) na emissão política da televisão France 2, principal cadeia de serviço público, abordando vários temas de política nacional e internacional.

Da sua grande entrevista política desde que foi eleito presidente do partido conservador, Os Republicanos, Laurent Wauquiez, a nível da Europa, defendeu uma política proteccionista e sobre a política interna francesa, criticou a fiscalidade do governo do Presidente Emmanuel Macron, que penaliza, com taxas, nomeadamente, os pensionistas.

Em matéria de política de imigração, o chefe da oposição, reclamou um endurecimento da mesma, nomeadamente, sobre os estudantes estrangeiros que vêm estudar em França, ou o direito de solo e os imigrantes de diferentes sectores.

Oiçamos, Laurent Wauquiez, líder dos Republicanos:

"Os trâmites sobre estudantes estrangeiros foi progressivamente desviado dos seus fins e serve hoje para obter uma autorização de residência de modo indevido.

Considero que fomos para além daquilo que são as necessidades de acolhimento do nosso sistema universitário.

Para mim o máximo de  estudantes estrangeiros que podemos acolher seria de 20 mil a 30 mil, sobre um certo número de parcerias escolhidas e sobretudo em certos domínios.

As nossas cooperações têm de ter benefícios para o nosso país. A realidade da nossa política imigratória, é que não são os franceses que escolhem quem entra em França. São os passadores que escolhem por nós.

Quero que recomecemos tudo do começo. Que nos interroguemos sobre as regras de reagrupamento familiar, que reflictamos sobre a instalação de quotas por país e por profissão no sector da imigração económica,  que haja uma redefinição do acesso a ajudas sociais, e por fim, desejo que tenhamos um debate sobre o direito de solo."

Palavras de Laurent Wauquiez, chefe da direita conservadora francesa !

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.