Acesso ao principal conteúdo
França/Mayotte

Mayotte: Violência e delinquência no centro das atenções

Manifestações contra a insegurança.
Manifestações contra a insegurança. ©Ornella LAMBERTI/AFP

Em Mayotte, ilha francesa situada ao largo do continente africano, a delinquência e a violência estão a crescer de forma dramática, facto que levou já esta segunda-feira 12 de Março, a Ministra do Ultra-Mar, Annick Girardin, a deslocar-se ao terreno.

Publicidade

A insegurança em Mayotte preocupa cada vez mais. Os roubos com violência multiplicam e não é raro o dia em que a imprensa local faz eco desses acontecimentos. No passado fim-de-semana, um professor foi atingido por uma faca nas costas e roubado, enquanto um jovem foi agredido com uma catana. Violência quotidiana cometidas por jovens delinquentes que fazem reinar o terror na ilha. Sair à noite é quase impensável.

Duas realidades defrontam-se: de um lado os habitantes que se protegem com arame farpado e do outro lado clandestinos que vivem em cabanas, a maioria proveniente das Comores.

Dezenas de milhares de clandestinos das Comores chegam por ano a Mayotte, isto apesar das expulsões serem consideráveis. Esta imigração cria um forte desequilíbrio demográfico. O sistema educativo e sanitário estão ultrapassados pelo fluxo de pessoas, e milhares de crianças encontram-se abandonadas nas ruas. A ministra francesa do Ultra-Mar, Annick Girardin, vai tentar encontrar soluções para a ilha.

Ouça a Crónica sobre Mayotte.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.