Acesso ao principal conteúdo
França

Mireille Knoll, francesa assassinada por ser judia

Mireille Knoll, 85 anos, francesa assassinada por ser judia
Mireille Knoll, 85 anos, francesa assassinada por ser judia DR.

Consternação de políticos, religiosos e organizações judaicas, em França, que reagem condenando o assassínio da francesa, Mireille Knoll, de 85 anos, de religião judaica, apelando a uma marcha condenando o antissemitismo. A polícia prendeu dois suspeitos, um deles um muçulmano que terá apunhalado a idosa e pegado fogo ao seu apartamento em Paris. 

Publicidade

Mireille Knoll, francesa, de 85 anos de confissão judaica foi encontrada morta carbonizada desde sexta-feira no seu apartamento parisiense, não acreditava na maldade do ser humano.

No seu apartamento do XI° bairro de Paris, uma foto da velha senhora, rosto alegre e sorridente, que acabou por morrer incendiada, depois de ter escapada ao holocausto.

Ela conseguiu fugir de um campo de extermínio com um passaporte brasileiro e refugiou-se em Portugal.

Mireille Knoll, foi apunhalada, até à morte, por um vizinho muçulmano que a desferiu 11 golpes de arma branca, e depois lançou fogo ao apartamento.

Dois suspeitos  foram acusados de homicídio voluntário contra Mireille Knoll, devido à sua religião judaica.

A polícia abriu um inquérito e houve condenações de religiosos e associações havendo igualmente uma petição de organizações judaicas nas redes sociais apelando para uma “marcha branca” à memória de Mireille.

Entre os políticos, o presidente Macron, denunciou "o crime hediondo” reafirmando a sua “determinação absoluta em lutar contra o antissemitismo”.

Enfim, o delegado-geral da República em Marcha, partido no poder, aqui dobrado por Miguel Martins, declarou ser “inaceitável o assassínio” de Mireille Knoll, pelo simples facto de ser judia.

"Acho que o nosso lugar é numa marcha para denunciar o que aconteceu.

Nunca podemos aceitar nenhum gesto anti-semita.

E aquele que leva ao assassínio de uma idosa sem qualquer outra razão a não ser o facto de ela ser judia é completamente inaceitável."

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.