Acesso ao principal conteúdo
Revista de Imprensa

Evasão fiscal de bancos europeus durante crise financeira

Áudio 04:14
Imprensa francesa de 18 de outubro de 2018
Imprensa francesa de 18 de outubro de 2018 RFI

As primeiras páginas dos jornais nacionais estão dominadas por questões de política francesa e fuga ao fisco em vários países europeus. A roubalheira fiscal do século, titula, LE MONDE. Como bancos e fundos subtraíram do 55 mil miliões de euros a estados europeus.O vespertino e 18 outros meios de comunicação investigaram sobre um gigantesco escândalo de fraude e evasão fiscais em vários países. Enquanto os Estados enchiam os cofres dos bancos durante a crise, financeiros arquitectaram desde 2011 um esquema de roubo inédito.Alemanha que abriu inquéritos penais perdeu entre 7 a 12 mil milhões de euros de receitas  fiscais entre 2005 e 2012. Em França, a arbitragem de dividendos pemitiu a investidores não pagarem 3 mil milhões de impostos por ano. Em plena crise financeira, grandes bancos franceses participaram nestas operações, acrescenta, LE MONDE.Por seu lado, LE FIGARO, titula, Macron, não consegue encontro um segundo fôlego. 60% dos franceses segundo uma sondagem Odoxa dizem estar insatisfeitos com a nova remodelação governamental.Decididamente nada marcha! Os franceses consideram que não serviu para nada a indecisão de duas semanas do presidente para anunciar pouca coisa. Macron tem de reatar rapidamente a relação partida com os franceses, sublinha, LE FIGARO, no seu editorial, intitulado avaria.LA CROIX, titula, cheias, construir doutra maneira. As trágicas inundações do começo da semana no sul da França obrigaram a repensar a urbanização em zonas de risco.Sinistrados de Aude, urgência da solidariedade, replica, L’HUMANITÉ. Associações e socorro popular, eleitos e serviços públicos estão ultra-mobilizados para ajudar os sinistrados das cheias.Por seu lado, LIBÉRATION, titula, sobre pedofilia na Igreja, para quando a mea culpa? Levantado o véu em vários países sobre abusos sexuais cometidos por eclesiásticos, cobertos pela hierarquia, o clérigo francês começa a perceber pouco a pouco que tem de finalmente fazer o acto de contrição.Na actualidade internacional, LE MONDE, destaca, Arábia saudita, o príncipe herdeiro saudita, Mohamed bem Salman, é apanhado no furacão Khashoggi. É o seu futuro que está tremido na tempestade levantada pelo desaparecimento do jornalista Jamal Khashoggi, que teria sido decapitado e desmembrado pela segurança próxima do príncipe no consulado  da Arábia saudita, em Istambul.Enquanto várias capitais criticam Riade, Donald Trump, continua a apoiar o seu aliado e minimiza o caso, acrescenta LE MONDE.Brasil, Face a Bolsonaro, o problema duma frente, escreve, LIBÉRATION. A 10 dias da segunda volta  da eleição presidencial, o PT de Fernando Haddad tem de alargar o leque dos seus apoios para ganhar contra o candidato da extrema direita ultra-favorito. Mas há problemas que emperram a criação de um bloco republicano.Em entrevista ao LIBÉRATION, o antigo embaixador da França no Brasil, Alain Rouquié, afirma que os brasileiros não rejeitam a democracia apesar da provável eleição de Bolsonaro, que se rodeou de militares de pijama.Em relação à África, LE MONDE, destaca Argélia, a seis meses das presidenciais, a Assembleia está bloqueada pelos deputados.A imprensa argelina de hoje critica o carácter ilegal da maioria, nomeadamente, da FNL e da União nacional democrática, que proclamaram ontem à noite a vacatura do posto do presidente da Assembleia nacional. Ontem, os deputados argelinos trancaram com correntes as portas da Assembleia para impedir o seu presidentes de entrar no edificío parlamentar. 

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.