Acesso ao principal conteúdo
França

Violência nas manifestações de coletes amarelos em Paris

Manifestação dos coletes amarelos nos Campos Elíseos infiltrados por ultra-esquerda e ultra-direita a 24 de novembro
Manifestação dos coletes amarelos nos Campos Elíseos infiltrados por ultra-esquerda e ultra-direita a 24 de novembro © Reuters

Os coletes amarelos voltaram a descer hoje às ruas bloqueando estradas e algumas artérias de Paris e cidades de províncias para manifestarem a sua revolta contra o aumento dos preços dos combustíveis em França. Houve confrontos entre a polícia e um grupo mais radical dos coletes amarelos nos Campos Elíseos, onde estava proíbido qualquer tipo de manifestação.

Publicidade

Mobilização de vários milhares de coletes amarelos nas principais cidades francesas, nomeadamente, em Paris, contra o aumento dos preços e taxas dos combustíveis, em França.

Segundo a polícia, foram 8.000 manifestantes, em Paris, e 23.000 a nível nacional. Os coletes avançam um número muito maior, de 81 mil manifestantes.

Há uma semana, foram cerca de 300 mil coletes amarelos em todo o país.

Na capital, Paris, dos 8 mil manifestantes, cerca de 1000, conseguiram manifestar nos Campos Elíseos, onde estava proíbido qualquer tipo de manifestação, pelo que a polícia interveio, lançando gás lacrimogéneo, para dispersar os radicais.

Alguns manifestantes foram presos pela polícia que os soltou mais tarde, mas radicais da extrema direita e da extrema esquerda, agrediram polícias e provocaram alguns estragos nos Campos Elíseos.

O ministro do Interior, Christophe Castaner, denunciou  a infiltração das manifestações pela extrema direita e criticou directamente Marine Le Pen, líder da União nacional.

Por seu lado, Marine Le Pen, acusou o governo de "organizar tensões", tendo garantido "nunca ter apelado a qualquer tipo de violência".

"Questionei na sexta-feira o governo para conhecer as razões pelas quais os coletes amarelos não poderiam manifestar nos Campos Elíseos. Mas, evidentemente, nunca apelei a nenhum tipo de violência", sublinhou, a presidente da União nacional.

A meio da tarde, a polícia ainda não tinha conseguido expulsar um punhado de manifestantes dos Campos Elíseos, e a nível nacional havia cerca de 948 acções e 516 bloqueios de estradas em toda a frança pelos coletes amarelos.

Os coletes amarelos, já disseram que vão continuar com este movimento de revolta, até serem ouvidos pelo Presidente francês, Emmanuel Macron, que vai à televisão na terça-feira.

   

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.