Acesso ao principal conteúdo
França/Arménia

França comemorou genocídio arménio

Homenagem do Governo francês perante a estátua de Komitas, compositor e etnomusicólogo arménio.
Homenagem do Governo francês perante a estátua de Komitas, compositor e etnomusicólogo arménio. ERIC FEFERBERG / AFP

A França comemorou nesta quarta-feira 24 de abril pela primeira vez o genocídio arménio de 1915 que ocorreu na Turquia, antigo Império Otomano.

Publicidade

A França assinala neste 24 de abril o genocídio arménio de 1915. Especialistas no assunto calculam que um milhão e meio de arménios foram assassinados pelas tropas do Império Otomano durante a Primeira Guerra Mundial.

Para certos especialistas, foi o primeiro genocídio do século XX.

Esta comemoração do Estado francês criou tensões com a Turquia, que recusa o termo genocídio quando se fala do massacre de milhares de arménios. Ancara prefere falar em massacres num contexto de guerra civil e de fome. Esta situação tendo causado mortos dos dois lados.

Estas tensões fizeram com que esta quarta-feira o Presidente turco Recep Tayyip Erdogan pedisse à França para parar de “dar lições”, dando o exemplo do genocídio no Ruanda acusando a França de ser responsável da morte de 800 mil pessoas em território ruandês.

De notar ainda que as autoridades turcas proibiram uma concentração prevista em Istambul para assinalar o massacre dos arménios. As forças de segurança dispersaram uma centena de manifestantes.

Ouça a entrevista do jornalista arménio Tigrane Yegavian que nos explicou o que significa esse reconhecimento em França e abordou o genocídio.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.