Acesso ao principal conteúdo
FESTIVAL DE CINEMA DE CANNES

Cinema em Portugal com promoção em Cannes

Ana Mendes Godinho e Luís Chaby Vaz em Cannes a 18 de Maio de 2019.
Ana Mendes Godinho e Luís Chaby Vaz em Cannes a 18 de Maio de 2019. rfi/Miguel Martins

Portugal promoveu em Cannes as suas potencialidades no cinema. Um serão alusivo teve lugar neste sábado: um filme em competição foi integralmente rodado em Portugal "Frankie" com uma equipa técnica lusa, sem esquecer a participação do actor Carloto Cotta.

Publicidade

O festival de cinema de Cannes prossegue até dia 25, no sul de França.

Das 21 longas metragens em competição uma delas foi filmada em Portugal.

"Frankie" do norte-americano Ira Sachs conta com a estrela francesa, Isabelle Huppert, como vedeta e teve Sintra como palco de rodagem.

O produtor português Luís Urbano conta que o projecto foi concebido em torno do local escolhido: Sintra, nos arredores da capital portuguesa, e contou com a mais valia de uma equipa local assente na multidisciplinaridade.

Ele admite que Cannes, mais do que qualquer outro certame de cinema, contina a ser incontornável.

Veja aqui a entrevista de Luís Urbano sobre "Frankie" de Ira Sachs, com imagem de Romain Ferré.

Outro filme, Fátima,  ainda por estrear, uma produção italo-americana, teve por palco Portugal, e a localidade onde em1917 tiveram lugar as aparições da virgem Maria a três pastorinhos.

Estes dois filmes foram destacados num serão realizado na noite passada em Cannes para promover, precisamente, Portugal como destino de cinema.

Ana Mendes Godinho, secretária de Estado portuguesa do turismo, e também Luis Chably Vaz, presidente do ICA, Instituto português do cinema e do audiovisual, explicam que o país se dotou de um dispositivo atractivo, incluindo reembolso de investimentos, por forma a atrair para apostas no sector do cinema.

Presentes neste serão do cinema luso em Cannes estiveram, pois, diversas individualidades da sétima arte portuguesa.

Rodrigo Areias é produtor de cinema, uma presença habitual em Cannes. desde 2003, ele admite que é em Cannes que todos os actores da área se encontram.

Ele não deixa de aplaudir o facto da direcção deste festival ter decidido não aceitar filmes da plataforma norte-americana Netflix por esta não se ter comprometido em garantir estreias dos seus filmes nas salas.

Celine Fernandes é directora internacional dos estudios Nu Boyana, também ela veio ao sul de França para este certame, desta feita pela segunda vez, e garante que é em Cannes que as negociações avançam entre parceiros do cinema.

Também Rui Ramos, coordenador do projecto Minho Film Commission, marca presença em Cannes.

A região nortenha portuguesa faz também a promoção em Cannes da sua mais valia na área, uma região que ele considera de "film friendly".

Confira aqui alguns instantâneos da promoção do cinema português nesta edição do mais célebre festival da sétima arte do mundo.

{{ scope.counterText }}
{{ scope.legend }}© {{ scope.credits }}
{{ scope.counterText }}

{{ scope.legend }}

© {{ scope.credits }}

Veja aqui a reportagem com Victor Uhl e Cyril Etienne

Miguel Martins, Cannes, RFI

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.