Acesso ao principal conteúdo
AERONÁUTICA

Abertura da Feira da Aeronáutica em Paris

O maior evento aeronáutico do mundo, a Feira Paris Air Show, realizada no aeroporto Le Bourget, foi inaugurada nesta segunda-feira pelo presidente Emmanuel Macron.
O maior evento aeronáutico do mundo, a Feira Paris Air Show, realizada no aeroporto Le Bourget, foi inaugurada nesta segunda-feira pelo presidente Emmanuel Macron. REUTERS/Benoit Tessier/Pool

A 53a Feira da Aeronáutica e do Espaço arrancou nesta segunda-feira em Le Bourget, perto de Paris. Até dia 23 profissionais e apaixonados deslocam-se para ver, nomeadamente, cerca de 150 aviões expostos ou em demonstrações aéreas. O evento acolhe mais de 320 000 visitantes.

Publicidade

São 150 os aviões expostos ao longo desta semana na 53a edição da Feira da Aeronáutica, em Bourget.

Os primeiros 4 dias são destinados aos profissionais do sector, mas a partir de sexta-feira, e durante o fim de semana, a exposição abre-se ao grande público para fascínio dos cerca de 320 mil fãs esperados no recinto.

As novidades tecnológicas do domínios dos ares são uma presença, certamente, ou não estivéssemos a falar da maior feira do sector do mundo.

É por isso que se esperam novos anúncios de uma maior aproximação a energias renováveis, como os bio-combustíveis.

No entanto, paira no evento um elefante negro: o construtor americano Boeing aparece fragilizado após um dos seus aparelhos te sido imobilizado devido a uma série avarias, no caso o 737 Max.

De recordar que no ano passado caíram dois aviões da empresa, americana dos mais vendidos do mundo, sendo que as causas apontadas se prendem com o novo sistema de estabilizaçao.

Este domingo, já na capital francesa para participar no certame, o presidente da empresa admitiu terem sido cometidos erros e acabou por pedir desculpa às 346 vítimas que perderam a vida nos desastres aéreos.

Este ano o Le Bourget coincide com os 50 anos da chegada do homem à Lua.

Facto relativizado por Donald Trump, presidente norte-americano que criticou o projecto da Nasa de ter o homem a pisar novamente solo lunar na próxima década.

Rui Santos, director-geral da Aeronáutica, Espaço e Defesa Portugal, defendeu a Cristiana Soares, que faz todo o sentido o homem voltar à Lua.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.