Acesso ao principal conteúdo
Festival de Avignon

“O Agora que Demora” de Christiane Jatahy

“O Agora que Demora - Nossa Odisseia II” de Christiane Jatahy
“O Agora que Demora - Nossa Odisseia II” de Christiane Jatahy © Christophe Raynaud de Lage

“O Agora que Demora” de Christiane JatahyEm Avignon, sobe esta noite ao palco, pela última vez no âmbito do Festival de Teatro, a peça "O Agora que Demora" da brasileira Christiane Jatahy. Um cruzamento entre teatro e cinema sobre refugiados.

Publicidade

A coprodução entre o Rio de Janeiro e Bruxelas é apresenta em várias línguas, nomeadamente árabe, turco, grego, inglês, francês, dialetos índios e português.

Em “O Agora que Demora - Nossa Odisseia II” de Christiane Jatahy, os actores não estão em palco, estão sentados no meio do público. No palco está uma tela gigante numa quebra propositada da barreira entre “presente e passado”.

“Falamos de pessoas que estão em situações de fronteira, que não podem nem ir nem vir, mas que têm o desejo de volta. Como é que você pode voltar para um lugar que é seu, se esse lugar foi tirado de você? E ao mesmo tempo você não pode sair dali. Este é o exemplo de “O Agora que Demora”, sublinhou a encenadora ao microfone Maria Emilia Alencar.

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.