Acesso ao principal conteúdo
França

Coletes Amarelos no Dia da Bastilha

Emmanuel Macron, Presidente francês. 14 de Julho de 2019. Paris.
Emmanuel Macron, Presidente francês. 14 de Julho de 2019. Paris. Eliot BLONDET / POOL / AFP

O presidente francês, Emmanuel Macron, foi apupado por coletes amarelos quando descia a avenida dos Campos Elísios no início do desfile militar do 14 de Julho. Varios manifestantes, incluindo líderes dos coletes amarelos como o lusodescendente Jérôme Rodrigues, foram detidos por terem "organizado uma manifestaçao ilegal". No final do desfile, houve também confrontos entre manifestantes e forças de ordem. 

Publicidade

O desfile começou no ar com a patrulha acrobática francesa a abrir o baile com fumo azul, branco e vermelho. O tradicional desfile militar do 14 de Julho pautou-se este ano portrês prismas: inovação, cooperação europeia e homenagem aos feridos de guerra. 

O Presidente francês, Emmanuel Macron, abriu o desfile e foi vaiado por manifestantes quando descia a avenida, de pé, num carro militar, ao lado do chef de Estado-maior General das Forças Armadas francesas. 

As autoridades já previam a presença de manifestantes do movimento dos coletes amarelos que se juntaram aos espectadores, nas margens da avenida parisiense. As forças de intervenção rápida interromperam os protestos e o desfile prosseguiu como previsto.

Varios manifestantes, incluindo líderes dos coletes amarelos como o lusodescendente Jérôme Rodrigues, foram detidos por terem "organizado uma manifestaçao ilegal". No final do desfile, houve também confrontos entre manifestantes e forças de ordem. 

Neste dia nacional, a França mostrou através do tradicional desfile a sua a máxima militar: com dispositivos de segurança e com 4300 militares a marchar  na Avenida dos Campos Elísios. 

Na parada participaram 30 militares portugueses, entre eles, Gonçalo Correia, da Legião Estrangeira, que desfilou pela primeira vez.

« Mais recentemente estive no Mali durante quatro meses. Estive noutros países em África, na Ásia e ainda na América do Sul a participar em missões de prevenção, de treino », contou o militar à Rfi. 

«Este é o momento em que o Estado francês demonstra que está aqui para defender os cidadãos franceses. Nós, como nação europeia, temos de estar cientes dessa missão porque é a nossa também. Como cidadãos europeus nāo podíamos deixar de estar aqui », contou, também, o Tenente-Coronel Óscar Fontoura.

Pela primeira vez viu-se um soldado a voar, entre robots, drones e carros blindados. Além das tecnologias, o desfile centrou-se na Europa, com emblemas de 10 países da Iniciativa Europeia de Intervenção a desfilar, entre eles Portugal. O chede de Estado português, Marcelo Rebelo de Sousa, assistiu ao desfile na tribuna de honra, entre o presidente francês e a chanceler alemã.

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Faça o download da aplicação

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.